Cotidiano

Terceirizados da CCR MSVia voltam a bloquear a BR-163 no norte de MS

Duas pistas estão interditadas

Wendy Tonhati Publicado em 09/05/2017, às 14h27

None
4d7f20cf-dfe7-454c-a633-4878827496a9.jpg

Duas pistas estão interditadas

Operários da FBS Construtora –uma das terceirizadas da CCR MSVia que realizava a duplicação da BR-163 – voltaram a bloquear a rodovia – no KM 644 – localizado na região de São Gabriel do Oeste, a 133 quilômetros de Campo Grande.  Na última sexta-feira (5), os trabalhadores já haviam feito protesto bloqueando a pista.

De acordo com a PRF (Policia Rodoviária Federal), a interdição começou às 10h40 e durou até às 11h30. As duas pistas ficaram bloqueadas pelos manifestantes.

Os trabalhadores da empresa FBS solicitaram a presença dos responsáveis pelo acordo trabalhista. Eles foram os primeiros a serem demitidos por conta da paralisação da duplicação pela CCR MSVia, no começo de abril deste ano.

Os operários disseram ao Jornal Midiamax que a empresa queria parcelar as verbas rescisórias em várias vezes. O acordo não foi aceito pelos trabalhadores que decidiram protestar.

A concessionária anunciou a paralisação das obras de duplicação da BR-163, em Mato Grosso do Sul até que a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) analise o pedido de revisão para mudar as regras do contrato firmado com a União.

A CCR MSVia quer mudanças para duplicar a rodovia ‘onde for necessário’ ao longo dos 30 anos de concessão, podendo terminar o período sem que toda a rodovia tenha sido duplicada. O presidente da concessionária, Roberto Calixto, avaliou que a situação ocorreu “em função da crise financeira, da diminuição de receita que a concessionária.

A OAB MS (Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso do Sul) deu início aos estudos sobre contrato de concessão e prestação de serviços entre a CCR MSVia e Governo Federal.

“Será revisado o edital e o contrato assinado entre a concessionária e o Governo para vermos se há essa possibilidade de rescisão parcial, como a CCR MSVia pretende. É importante essa análise profunda para que, eventualmente, nos constatando Ilegalidade, ou quebra de contrato, possamos ajuizar ação”, explicou o presidente da OAB Mansour Elias Carmouche.

A FBS informou na última sexta-feira, por meio de nota que:

A FBS, como contratada da CCR MSVia, esclarece que, em virtude de a Concessionária ter paralisado as obras de duplicação da BR-163, conforme amplamente divulgado pela imprensa, viu-se obrigada a dispensar os colaboradores alocados na referida obra.

A FBS está em tratativas com o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil Pesada do Mato Grosso do Sul para viabilizar a melhor forma de pagamento das verbas rescisórias.

A FBS informa que os salários dos empregados não estão atrasados. O respeito aos direitos dos trabalhadores é e sempre será prioridade da Companhia que não poupará esforços para solucionar a questão.

Jornal Midiamax

☰ Últimas Notícias