Sindicato dos médicos apresenta proposta de aumento salarial, Prefeitura avalia

Marquinhos deve responder na quinta-feira (27)
| 27/04/2017
- 02:30
Sindicato dos médicos apresenta proposta de aumento salarial, Prefeitura avalia

Marquinhos deve responder na quinta-feira (27)

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) reuniu-se com o presidente do Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), Flávio Freitas para avaliar proposta de aumento salarial para a categoria no âmbito da saúde pública municipal. O sindicato apresentou proposta para aumentar o salário base de R$ 2,276 mil – conforme alega a administração -, para R$ 4,5 mil.

O secretário municipal de Saúde, Marcelo Vilela, coordenadores de serviços da (Secretaria Municipal de Saúde), diretores clínicos e médicos da Rede Municipal de Saúde, também participaram da discussão. O Prefeito, conforme explicou a assessoria de imprensa, irá avaliar a proposta.

“O salário base do médico da rede pública municipal é R$2.276,00 por 12 horas trabalhadas por semana mais gratificações que podem praticamente dobrar este valor, além dos plantões. A proposta inicial apresentada pelo presidente do sindicato prevê a incorporação do valor pago pelas gratificações o que elevaria o salário base do médico para cerca de R$4,5 mil”, afirmou a assessoria.

O sindicato também reivindica mudança de letra da categoria, conforme a assessoria da Prefeitura, pois atualmente, o médico está “no mesmo ‘patamar’ de negociação com os veterinários e odontólogos”.

 “Hoje nós temos vivenciando um fenômeno inverso do que era no passado, onde a maioria dos profissionais buscavam ter vinculo de trabalho com a prefeitura. Nós estamos presenciando uma migração muito grande para o serviço privado e isso em sua maioria é ocasionado para falta de atrativo financeiro para que ele possa trabalhar”, afirmou o presidente do Sinmed.

O prefeito Marquinhos Trad irá encaminhar uma contraproposta ainda nesta quinta-feira (27) para ser colocada em apreciação pela categoria durante assembleia do sindicato dos médicos, de acordo com a assessoria de imprensa.

“Nós precisamos buscar o consenso, mas tudo deve ser feito com responsabilidade, principalmente quando se fala em recurso. A saúde é uma das maiores prioridades da minha gestão e estamos empenhados em fazer o melhor e dar o melhor para a população campo-grandense.  Sabemos que os profissionais, principalmente os médicos, são muito importantes e precisamos valoriza-los e criar uma harmonia. A população merece ter uma saúde de qualidade e isso passa pelo atendimento de um profissional dedicado e que honra a sua profissão”, completou.

Conforme noticiou a assessoria de imprensa, “na avaliação do secretário de saúde Marcelo Vilela a proposta seria viável desde que ao invés do vínculo ser de 12 horas ele passe a ser de 20 horas por semana”.

“Desta forma nós conseguiríamos atender a reivindicação da categoria e também organizar as escalas garantindo o atendimento à população”, declarou ele.

A Prefeitura afirma que a rede municipal de saúde conta com 1.098 médicos – 589 concursados e 509 contratados -.  Deste total, de acordo com a administração municipal, 1.082 recebem cerca de R$5 mil; 472 – R$ 10 mil; 273 -R$15 mil e 124 acima de R$20 mil.

Veja também

Com greve de motoristas descartada, ônibus devem circular normalmente nesta quinta

Últimas notícias