Sindicância vai apurar castigo em escola estadual que chegou a 4h

O caso aconteceu na escola Hércules Maymone 
| 17/05/2017
- 19:39
Sindicância vai apurar castigo em escola estadual que chegou a 4h

O caso aconteceu na escola Hércules Maymone 

A SED (Secretaria de Estado de Educação) vai abrir sindicância para apurar a denúncia de que alunos da Escola Estadual Hércules Maymone, em Campo Grande, cumpriram castigo de 4 horas sem poder beber água, comer ou ir ao banheiro. A denúncia de 33 alunos virou caso de polícia. Eles alegam que ficaram trancados por uma tarde na biblioteca da escola por terem chegado atrasado. 

Indignados, pais de alunos registraram boletim de ocorrência e relataram que os filhos ficaram impedidos de beber água e ir ao banheiro por um período de 4 horas porque chegaram atrasados para uma palestra. Os estudantes afirmam que foram colocados dentro da biblioteca e deixados trancados das 13 às 17h17, no dia 10 de maio. Alguns alunos ainda precisaram ficar sentados no chão, pois a sala não tinha cadeiras para todos.

 

A secretaria informou que vai instaurar um processo de sindicância para apurar os fatos e tomar asSindicância vai apurar castigo em escola estadual que chegou a 4h

De acordo com a pasta de educação, a Coordenadoria de Gestão Escolar (Coges) está acompanhando a denúncia sobre o dia da palestra do Projeto Resgate, e encaminhou para a escola técnicos da Secretaria para os devidos levantamentos e esclarecimentos. Na ocasião, foram ouvidos o diretor, a diretora-adjunta e alguns estudantes acompanhados dos pais.

 

O delegado Paulo Sérgio Lauretto, que investiga do caso, disse ontem (16) ao Jornal Midiamax que o diretor da escola será ouvido e o caso é tratado como “submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento”, que tem pena de seis meses a dois anos de detenção.

 

 

Veja também

Ordem de despejo de moradores em comunidade no Dom Antônio Barbosa foi suspensa em Campo...

Últimas notícias