Paralisação foi rejeitada pelo Sindicato, mas houve protesto

Sem diretor-presidente desde terça-feira (29), os servidores do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de MS) chegaram a propor uma paralização dos serviços. Tanto o diretor do Departamento, Gerson Claro Dino (PSB), quanto o diretor-adjunto, Donizete Aparecido da Silva, foram presos durante a Operação Antivírus na terça-feira, mas já foram liberados.

A proposta de paralisação foi rejeitada pelo Sindetran (Sindicato dos Servidores do Detran-MS). “Nós tivemos muitos pedidos de servidores pra paralisar, mas optamos por permanecer em expediente. Se a gente paralisar, quem mais vai sofrer vai ser o cidadão”, diz o presidente da entidade, Octacílio Sakai Junior.   

Segundo o representante da categoria, os servidores têm realizado seus serviços ‘no possível da normalidade’. Até o momento, o governo do Estado não divulgou se irá substituir Gerson Claro da direção do Departamento, mesmo após suscetivas reuniões um dia após a Operação Antivírus. De acordo com a assessoria da gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB), um posicionamento deve ser tomado na tarde desta quinta-feira (31).

Octacílio lembra que, sem diretor, ações do Detran-MS que dependem do presidente foram prejudicadas, como a emissão de diárias para servidores que realizam exames para obtenção de CNH no interior. “Tirando Campo Grande e Dourados, todo Estado está sem emissão de carteiras”, explica o sindicalista.

Ontem, quarta-feira, servidores do Departamento compareceram ao serviço vestidos de preto, em sinal de luto e protesto contra a corrupção, e em apoio à Operação Antivírus, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado).Sem direção há dois dias, servidores do Detran-MS chegaram a avaliar greve

Desqualificar servidores

Sobre os indícios de que Gerson Claro planejava desqualificar os servidores do Detran-MS , por meio de uma prova que demonstraria a “falta de capacidade” dos funcionários, Octacílio declarou que isso seria resultado da “falta de planejamento”.

“Isso é falta de planejamento, você colocar uma pessoa pra dirigir o Departamento sem qualificação, e que vai fazer uso político do órgão”, disse o presidente do Sindicato. Ele espera que um novo presidente seja escolhido para o Detran-MS ainda nesta quinta-feira (31).

Em desdobramentos do inquérito da Oeperação Antivírus, Claro Dino e seu adjunto Donizete foram flagrados combinando a execução de uma prova, com uma terceira pessoa não identificada, para desqualificar os servidores do Departamento, e justificar a contratação das empresas investigadas na Operação. 

(Colaborou Ludyney Moura)