Cotidiano

Sem custo: Prefeitura vai montar estrutura para vacinar população em locais públicos

Vacina está liberada a partir de segunda

Midiamax Publicado em 03/06/2017, às 14h59

None

Vacina está liberada a partir de segunda

Prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD) disse na manhã deste sábado (3), que estuda a possibilidade de montar estruturas para vacinação em locais públicos. 

“Faremos esforço concentrado com tenda de vacinação Ceinfs (Centros de Educação Infantil), camelódromo, lugares de grande concentração. Estamos estudando ainda como isso irá funcionar”, declara sem informar mais detalhes.

Na sexta-feira (2) o Ministério da Saúde autorizou a distribuição das doses para população geral. As aplicações estarão disponíveis a partir da próxima segunda-feira (5), quatro dias antes do encerramento da campanha.

De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a medida é válida apenas para este ano e enquanto durarem os estoques. A decisão antecipou a vacinação de comerciantes do camelódromo, taxistas e mototaxistas que, conforme lei municipal, também têm prioridade no recebimento das doses.Sem custo: Prefeitura vai montar estrutura para vacinar população em locais públicos

O grupo deve procurar os CRSs (Centros Regionais de Saúde): Aero Rancho, Coophavila II, Nova Bahia ou Tiradentes, além das UBSs (Unidade Básica de Saúde, Coronel Antonino. O atendimento ocorre das 7h30 às 11 horas e das 13 às 17 horas.  

Para receber as vacinas os comerciantes do camelódromo, taxistas e mototaxistas, precisam apresentar o Cartão Nacional de Saúde e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande; documento pessoal de identificação; e, a caderneta de vacinação (caso tenha) e um documento que comprove que é trabalhador nestas profissões, como: alvará, registro profissional na Carteira de Trabalho ou inscrição no sindicato ou associação de classe.

Procura –

A informação sobre a liberação das doses atraiu a população aos postos de vacinação neste sábado. O mototaxista Ageziel Gonçalves Vieira, de 49 anos, descobriu que tinha prioridade no recebimento da vacina ao procurar o CRS Tiradentes para obter informações sobre a determinação do Ministério da Saúde.

“Eu vi na televisão que vai liberar para todo mundo e já passei no CRS para saber como funcionária e saí vacinado. No ano passado tomei em uma unidade particular porque não sabia que tinha prioridade pela lei municipal”, relata.

Mototaxista não sabia que tinha prioridade no recebimento de vacina
De acordo com a assessoria de comunicação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) Campo Grande tem 197 mil pessoas no grupo prioritário estabelecido pelo Ministério da Saúde.  Até o momento 137 mil pessoas foram vacinadas na Capital. 

A Sesau recebeu 200 mil doses e conta com estoque de 63 mil, porém, 60 mil pessoas do público alvo ainda não foram imunizadas. Com número de vacinas insuficiente para atender toda a população, senhas serão distribuídas nas unidades em dois períodos: de manhã das 10 às 11 horas e à tarde das 16 às 17 horas.

Senhas serão distribuídas das 10 às 11 horas e das 16 às 17 horas

Grupos prioritários –

Apesar da liberação da vacina para a população geral, a Sesau continua vacinando a o grupo de risco estabelecido pelo Ministério da Saúde: indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de cinco anos, as gestantes, as puérperas, os trabalhadores de saúde, os povos indígenas, os grupos com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, os funcionários do sistema prisional e professores.Sem custo: Prefeitura vai montar estrutura para vacinar população em locais públicos

Os profissionais de saúde devem apresentar a carteira do conselho ou holerite; as gestantes e puérperas: cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação; e os indígenas: cadastro na Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena). Todos devem apresentar o Cartão SUS e o número do prontuário da Rede Municipal de Saúde.

Professores devem estar munidos de holerite e os documentos obrigatórios para todos do grupo de risco.

Pessoas com doenças crônicas precisam apresentar e deixar nas unidades de vacinação, cópia do laudo indicando a doença ou uma receita, ambos com carimbo e assinatura do médico. A campanha termina na próxima sexta-feira (9).

Jornal Midiamax