Cotidiano

Regulamentação da Uber segue aumentando exigências e sem limitar motoristas

Reunião sobre regras foi realizada na noite da quarta-feira

Wendy Tonhati Publicado em 20/04/2017, às 14h12

None
04164833025380.jpg

Reunião sobre regras foi realizada na noite da quarta-feira

Em reunião na última quarta-feira (19), entre a comissão formada pela Prefeitura de Campo Grande órgãos, e representantes do transporte público foram definidas regras para o serviço ‘privado de transporte individual remunerado de passageiros’, que, na pratica atinge, os motoristas da Uber.

A maioria já constava no primeiro decreto. Ficou definido que os carros da Uber vão ter que placa vermelha, de Campo Grande, não poderão ser locados e terão de ter um adesivo na porta. Os motoristas terão de passar por uma capacitação feita pela Prefeitura e, apresentar antecedentes criminais estaduais e federais. Somente poderão ser utilizados veículos com a até cinco anos. A última regra, terá validade a partir do ano que vem. Neste ano, veículos com até sete anos podem ser Uber.

No dia 7 de março, o prefeito Marcos Marcelo Trad (SPD), suspendeu por 180 dias o decreto que regulamentava Uber e pediu um ‘debate amplo’ e definiu que o número de motoristas não seria limitado na Capital. As novas regras de devem constar no novo decreto que será publicado após esse prazo.

Também na noite da sexta-feira (19), os motoristas de Uber, que fazem parte da AMU (Associação dos Motoristas de Aplicativos de Mobilidade Urbana de Campo Grande) fizeram um protesto solidário na frente da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Coronel Antonino e criticaram as regras.

Em vídeo, o presidente a AMU, Wellington Dias, disse que a categoria foi ‘boicotada’. “Armaram para nós e para a população. Houve a limitação tácita do serviço de motorista de aplicativos. Fomos traídos com exigências que tornam inviáveis o nosso serviço”.

Jornal Midiamax