Cotidiano

Proposta revolta e 3,2 mil funcionários de empresa de telefonia ameaçam greve

Sindicato diz que operadora quer retirar benefícios

Midiamax Publicado em 07/06/2017, às 14h17

None

Sindicato diz que operadora quer retirar benefícios

Trabalhadores do setor de call center de uma empresa de telefonia – com unidade em Campo Grande – ameaçam paralisar as atividades. Segundo o diretor financeiro do Sintell (Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações), Jeferson Borges Silveira, a empresa sugeriu retirar benefícios já conquistados pela categoria. A proposta afeta 18 mil trabalhadores de Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná – sendo 3,2 mil na Capital.

Conforme as informações, mudança do ticket por vale lanche; 0% de reajuste, alteração na coparticipação cobrada no plano de saúde, de 20% para 60% de desconto na folha de pagamento, aumento da jornada de trabalho de 6 para 12 horas, são algumas das alterações sugeridas pela operadora. 

“Não aceitamos isso, repudiamos porque é ridículo. Estão querendo retirar todos os direitos dos trabalhadores. Não querem dar nem mesmo o reajuste da inflação e ainda querem retirar os direitos já conquistados”, declara.

Silveira diz que a sugestão foi apresentada no último dia 1º. Uma nova reunião acontecerá na próxima terça-feira (13), em Goiânia (GO). Na ocasião, a categoria deve contrapor a proposta da operadora.

“Vamos apresentar novamente a nossa proposta. Queremos o reajuste da inflação e manter tudo o que já conquistamos”, observa.

O diretor financeiro do Sintell, em Campo Grande, ressalta que caso não haja acordo, a categoria será convocada para votar o indicativo de greve em assembleia no dia 20.

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax questionou a assessoria de comunicação da empresa a respeito do fato, mas até o fechamento deste texto não houve resposta. 

Proposta revolta e 3,2 mil funcionários de empresa de telefonia ameaçam greve

Jornal Midiamax