Cotidiano

Prefeitura realiza estudo técnico antes de iniciar obras na Rua 14 de Julho

Investimento de US$ 56 milhões 

Diego Alves Publicado em 11/12/2017, às 22h29

None

Investimento de US$ 56 milhões 

Bem mesmo antes de iniciar as obras de revitalização da Rua 14 de Julho, com investimento de US$ 56 milhões de financiamento do BID e US$ 56 milhões de contrapartida da Prefeitura, um estudo técnico denominado gentrificação está sendo realizado pela Prefeitura de Campo Grande e a equipe do Sebrae/MS. Até agora a equipe vistoriou mais de 230 lojas.Prefeitura realiza estudo técnico antes de iniciar obras na Rua 14 de Julho

A arquiteta Neila Vieira explica o que é gentrificação e sua função dentro da revitalização da Rua 14 de Julho.

“Gentrificação é um fenômeno que afeta uma região ou bairro pela alteração das dinâmicas da composição do local, tal como novos pontos comerciais ou construção de novos edifícios, valorizando a região e afetando a população de baixa renda local. Quando o local é revitalizado ele passa a ter uma valorização maior e muitas vezes isso provoca aumento de aluguel e expulsa o morador ou comerciante antigo, que pagava um valor dentro de sua possibilidade e com a valorização mobiliária ele pode não conseguir pagar”.

“Nem sempre o comerciante não tem condições de arcar com esta valorização do imóvel e acaba se mudando isso que chamamos de processo de gentrificação. O BID tem uma preocupação com essa situação e nós profissionais e Prefeitura também temos esta preocupação. Então estamos fazendo um plano de mitigação do plano sócio–econômico para tentar evitar este processo de gentrificação”, a arquiteta Neila.

A analista do Sebrae/MS Andréa Fialho explica que a equipe do Sebrae foi convidada para fazer a pesquisa que resultará na análise para a execução do projeto Reviva Centro e junto com os empresários realizar as inovações nos empreendimentos.

“Hoje nós temos um mercado estabelecido de um público que atende o público da 14 de Julho. Com a elaboração e execução do projeto este público vai mudar e o Sebrae tem o papel de apoiar essas empresas com consultorias, treinamentos e capacitação para os colaboradores. Vamos rever o modelo de negócio, verificar o que eles estão vendendo hoje. A função do Sebrae e verificar os clientes vindouros do projeto, porque vai modificar este público alvo. O Sebrae tem como missão desenvolver os pequenos negócios no Estado de Mato Grosso do Sul. Este desenvolvimento deve ser feito com sustentabilidade e sempre apoiando o empresários”, frisa Andréa.

O acompanhamento das obras por parte da Prefeitura e Sebrae acontecerá antes, durante e depois das obras. O acadêmico de arquitetura e estagiário da Prefeitura, Guilherme Biscaia e equipe fez os levantamentos técnicos de aproximadamente 230 lojas.

Jornal Midiamax