Cotidiano

Prefeitura informa que vai recolher pizzas à venda em semáforos

Segundo a prefeitura, a prática fere a legislação municipal e da Anvisa

Raiane Carneiro Publicado em 28/06/2017, às 21h34

None

Segundo a prefeitura, a prática fere a legislação municipal e da Anvisa

Após reportagem sobre a venda de pizzas em semáforos, a prefeitura divulgou uma nota nesta quarta-feira (28) informando sobre os riscos de consumo dos alimentos comercializados nas ruas. Além de esclarecer os riscos, a nota informa que operação para recolhimento dos produtos está em andamento.

O coordenador do Serviço de Fiscalização de Alimentos da Coordenadoria de Vigilância Sanitária da SESAU (Secretaria Municipal de Saúde), Arivaldo Moreira Oliveira, informou que a fiscalização e o recolhimento destes produtos começou na última terça-feira (27) e vai continuar ao longo do mês por ações programadas em conjunto com a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente).

Na nota, chefe do setor explicou que há cerca de um mês o serviço tem recebido denúncias de pessoas que estariam comercializando pizzas semiprontas nos semáforos e avenidas da cidade. De acordo com o comunicado, a prática é contrária a resolução municipal e as normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Segundo o comunicado, as pizzas são consideradas produtos clandestinos por não ter nenhuma informação sobre sua origem e pela produção não ter nenhum tipo de inspeção, em locais desconhecidos, não tendo nenhuma garantira de manipulação segura.

Foi esclarecido que as pizzas são feitas com matéria-prima perecível, de origem animal, por esta razão, exigem conservação sob temperatura de refrigeração ou congelamento. Sobre os riscos do consumo, a nota informa que a pessoa pode ter graves toxiinfecções, com sintomas de náuseas, vômitos, diarreia, cólicas intestinais, podendo levar a desidratação grave, principalmente em crianças e idosos, com risco de morte. 

Jornal Midiamax