Cotidiano

PM de MS vai ter apostila sobre feminicídio e violência de gênero

Mato Grosso do Sul teve 18 feminicídios em 2017

Joaquim Padilha Publicado em 10/08/2017, às 12h06

None

Mato Grosso do Sul teve 18 feminicídios em 2017

A PM-MS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) instituiu uma comissão que deverá elaborar uma apostila sobre relações de gênero e violência contra mulher, incluindo orientações sobre a tipificação do crime de feminicídio.

A comissão foi criada nesta quinta-feira (10) por uma portaria do comandante-geral da Polícia Militar de MS, o coronel Waldir Ribeiro Acosta. O grupo terá 60 dias para elaborar a apostila, segundo a publicação.

O grupo que irá elaborar a apostila será composto por dois homens e duas mulheres que compõe o quadro de policiais militares do Estado. São um coronel, uma major, um capitão e uma sargento da PM-MS. 

A comissão também deverá elaborar uma proposta de revisão e aprovação do Procedimento Operacional Padrão adotado pelos policiais militares nas ocorrência de atendimento às mulheres, segundo a portaria.PM de MS vai ter apostila sobre feminicídio e violência de gênero

Feminicídio

Desde janeiro até agosto, já foram 18 casos de feminicídio registrados no Estado. No último mês, Mato Grosso do Sul ainda teve duas mortes de mulheres carbonizadas com requintes de crueldade. 

O primeiro caso, da musicista Mayara do Amaral, 27 anos, ocorreu na capital no mês de julho. Mayara foi morta com marteladas e teve o corpo carbonizado pelo ex-namorado, o bateirista Luís Alberto Bastos Barbosa.

Em Rio Brilhante, na última segunda-feira (7), o corpo de Márcia Rodrigues da Conceição foi encontrado carbonizado em uma estrada vicinal de Rio Brilhante, a 158 quilômetros de Campo Grande.

Jornal Midiamax