Cotidiano

Obras de saneamento são paralisadas por mais quatro meses pelo Estado

Investimentos são de R$ 2,9 milhões

Joaquim Padilha Publicado em 12/04/2017, às 12h07

None
obras_esgoto.jpg

Investimentos são de R$ 2,9 milhões

Duas obras de saneamento básico avaliadas em R$ 2,9 milhões, em Deodápolis e Santa Rita do Pardo, tiveram suas paralisações prorrogadas em mais quatro meses nesta quarta-feira (12).

A informação foi divulgada no Diário Oficial do Estado pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos). Ambas as paralisações começaram a contar a partir do dia 27 de março.

Em Deodápolis, a ampliação do sistema de abastecimento de água teve início em fevereiro de 2016, por meio de um contrato de R$ 1,3 milhão com a empresa DCA Construtora. As obras deveriam ser concluídas em 360 dias.

Já em Santa Rita do Parto, vinha sendo executada desde outubro de 2015 a ampliação do sistema de esgoto. A contrutora responsável, Ciacon Construções e Obras, havia recebido R$ 1,5 milhão para entregar a obra em 300 dias.

Ambos investimentos tiveram recursos da 2ª Fase do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Funasa (Fundação Nacional de Saúde). As informações são do Portal da Transparência do Estado.

Essa etapa do programa tem como objetivo diminuir as despesas com o sistema público de saúde por meio do investimento em saneamento básico, prevenindo a contração de doenças.

As prorrogações nas paralisações das obras foram assinadas pelo diretor-presidente da Agesul, Emerson Antonio Marques Pereira, no dia 24 de março deste ano.

(com supervisão de Evelin Cáceres)

Jornal Midiamax