Cotidiano

Na onda da ‘Carne Fraca’, inspeção em açougues da Capital é intensificada

Fiscalizações devem durar três semanas 

Clayton Neves Publicado em 21/03/2017, às 20h40

None
carnes-brasileiras.jpg

Fiscalizações devem durar três semanas 

Na onda da Operação Carne Fraca, nesta terça-feira (21) a Prefeitura de Campo Grande começou a inspecionar açougues dos principais supermercados da Capital. O objetivo é verificar as condições dos produtos comercializados.

Monica Tisher, gerente técnica da fiscalização de alimentos da Vigilância Sanitária, explica que as fiscalizações devem durar cerca de três semanas. De acordo com ela, serão analisados desde o rótulo, até o armazenamento do produto.

Amostras dos produtos fornecidos pelas empresas de frigoríficos envolvidos na investigação da Operação Carne Fraca serão recolhidas e vão por testes laboratoriais.

“Vamos avaliar a parte de microbiologia, se há presença de bactérias nocivas, presença de corpos estranhos, como papelão, osso, e, além disso, se foi colocado conservante nas carnes”, explica Monica.

As amostras recolhidas durante as inspeções serão encaminhadas para o Lacen (Laboratório Central) do Estado para que sejam feitas as análises microbiológicas (que verifica a contaminação por micro-organismos, como a salmonela), de rotulagem (verificação da composição do produto), microscopia (para detectar corpos estranhos no alimento e se há indícios de fraude), análise sensorial (verificar cor, textura e odor) e análise físico-químico (deterioração e alteração na cor). Os resultados devem sair em até 15 dias.

A medida visa reforçar a fiscalização na Capital a fim de garantir a qualidade da carne fornecida, após a Polícia Federal deflagrar a operação Carne Fraca, que investiga suposta adulteração e venda de carne estragada no País.

Jornal Midiamax