Cotidiano

Matheus tem 2 anos e seus heróis são os coletores de lixo, que ele chama de amigos

Trabalhadores na coleta serão tema do próximo aniversário do garoto

Midiamax Publicado em 19/04/2017, às 19h17

None
edit1.jpg

Trabalhadores na coleta serão tema do próximo aniversário do garoto

Matheus tem 2 anos e meio, mas já tem heróis incomuns. Em meio à rotina com a mãe na casa onde moram no bairro Taquaral do Bosque, ele fica atento. Aquela sinfonia mecânica, os assobios dos trabalhadores e Matheus já sabe: é o caminhão de lixo que vem chegando e trazendo os heróis da criança, que ele chama de “meus amigos”.Enquanto o mundo caminha em um culto à riqueza e ao excesso, a história de Matheus se destaca pela admiração que dedica à trabalhadores, muitas vezes, subvalorizados pela sociedade. A admiração é tamanha que o próximo aniversário do menino, já em planejamento, vai ser dedicado aos amigos coletores.

O encantamento do garoto enche de orgulho os pais. Tanto é que a mãe, Paula Fernanda Sampaio Marini de Souza, 22, compartilhou as fotos no Facebook e fico surpresa com a repercussão. “Eu publiquei no Facebook sobre o que ele sentia, e que eu iria fazer a festinha dele, e aí meio que repercutiu isso. Ele fica conversando com eles, fala: ‘beleza amigo’. É uma gracinha”, contou ela.

O encanto de Matheus com os amigos começou há cinco meses quando a família mudou para outra casa e ele viu o caminhão e os trabalhadores pela primeira vez. “Como o portão aqui é aberto e a construção é bem na entrada, a gente fica mais sentado aqui fora. E o caminhão começou a passar e a gente já descobriu que ele começou a ficar doido pelos meninos”.

O amigão da rua

Muitas vezes invisíveis, o carinho dedicado pela criança é recebido com alegria pelos trabalhadores. Paula conta que os ‘amigos’ de Matheus já o conhecem, pois, o pequeno não perde nenhuma chance de sair correndo para conversar com os coletores, durante os 3 dias da semana em que o caminhão de lixo passa pela rua. Nesta quarta-feira (19), a mãe relata que Matheus tomava banho e que, ainda assim, ouviu o som de longe. Não deu tempo. O pai, Diego, teve que levar Matheus correndo, para não perder o caminhão.

“Ele parece que já entende. Quando o caminhão passa lá na esquina de baixo e ele já fica aqui na frente esperando o caminhoneiro passar aqui, aí ele sai correndo, ele quer subir. Os meninos param para falar com ele, já conhecem, param pra falar com ele, colocam o Matheus dentro da cabine”.

“E o engraçado é que eles retribuem, porque param, conversam. Os meninos falam: ‘vai lá na empresa, vai na sede, que a gente vai dar um jeito de dar uma roupinha pra ele’. E ele fica no meu pé: ‘mãe, vamos lá’. Ele ganhou um chapeuzinho de festa junina deles, e onde ele vai, carrega esse chapéu. Se fosse um adulto, é como se fosse um troféu, que ele mostra e fala que foi os amigos dele que deram”, complementa.

Aniversário vai ter os ‘amigos’ como tema

Não tem conversa. Paula já até brincou com Matheus, para testá-lo e perguntou se a criança queria uma festinha dos famosos super-heróis norte-americanos. Mas ele quer mesmo uma festa com o tema ‘dos amigos’.

“E não muda a cabeça. Eu falo: ‘não filho, vamos fazer do Capitão América’. Ele fala: ‘não, o Capitão América é feio. Quero dos meus amigos’. Os meninos vão embora e ele sai correndo atrás do caminhão”, conta ela, rindo.

E pode ser que Matheus consiga até a participação especial dos trabalhadores. Um padrinho da criança, conforme relatou Paula, já trabalhou na concessionária do lixo e avisou a família que os coletores estão dispostos a irem uniformizados para a festa.  “Porque vai ser em um sábado e normalmente no sábado eles não trabalham, e meu marido vai tentar. Acho que se fizer isso ele vai ficar doidinho”.

O aniversário é só em novembro, e enquanto isso, Matheus aguarda ansioso pelos 3 dias da semana em que o caminhão traz os amigos que ele tanto gosta.

Jornal Midiamax