Prédio teve obras concluídas há quase cinco anos

Com obras concluídas há quase cinco anos, o IML (Instituto Médico Legal) de , município distante 228 quilômetros de Campo Grande, depende apenas da instalação de um transformador para começar a funcionar. A informação é do secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, o Barbosinha, que cumpriu agenda na cidade na manhã desta sexta-feira (3).

“Só falta a instalação de um transformador. Já está tudo pronto, todos os equipamentos montados, já adquirimos o transformador, estamos só na fase burocrática, administrativa, para instalar esse transformador para funcionar o raio X. É o último equipamento que falta para que o nosso IML de Dourados esteja pronto e entregue para a população”, explicou o titular da Sejusp ao Jornal Midiamax, durante a cerimônia de troca de comando do DOF (Departamento de Operações de Fronteira).

Iniciadas em outubro de 2010, ainda na gestão do ex-governador André Puccinelli (PMDB), as obras do IML de Dourados chegaram ao fim em 2012. No entanto, os R$ 900 mil investidos à época não surtiram efeitos práticos para a população, já que a estrutura nunca funcionou. Nesse período, corpos foram sepultados como indigentes por não haver local apropriado para serem preservados até a devida identificação.

“É uma novela que se arrasta há muito tempo, mas acredito que no espaço de 90 dias, que é o prazo de licitação para instalar o transformador, nós teremos esse assunto resolvido”, reconheceu Barbosinha. “Está tudo pronto, só falta efetivamente a instalação do transformador que já foi adquirido”, garantiu o secretário.

Em novembro de 2016, o MPE-MS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) expediu recomendação ao Governo do Estado para que estruturasse o IML de Dourados no prazo de 180 dias. Na ocasião, o promotor de Justiça Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior apontou ao governador Reinaldo Azambuja (PSDB) demora na conclusão de obras no setor de necropsia do Instituto Médico Legal.