Cotidiano

Governador diz que parceira para casas às famílias da Cidade de Deus deve sair este mês

Ele pretende firmar convênio com a prefeitura

Midiamax Publicado em 19/01/2017, às 16h19

None
gov.jpg

Ele pretende firmar convênio com a prefeitura

Em ato nesta manhã de quinta-feira (19) que governo e prefeitura assinaram convênio para tapa-buraco e recampeamento de Campo Grande, o chefe do executivo estadual Reinaldo Azambuja (PSDB) disse que em breve deve sair uma parceria para concluir casas destinadas as famílias da Cidade de Deus.

Segundo o governador, já está sendo feito levantamento para definir os custos. “A Maria do Carmo [Maria do Carmo Lopez-Secretária de Estado de Habitação] já esteve no local com o presidente da

Emha [Agência Municipal de Habitação-Eneas de Carvalho]. Estamos construindo nos mesmos moldes que fizemos com outros municípios. Governo do estado vai aportar recurso ou para compra de material ou para custear parte da mão de obra e vamos fazer uma finalização daquelas casas do pessoal que saíram da Cidade de Deus e dar dignidade e uma moradia com seguirança”.

Ao ser questionado sobre quando quando essa parceria pode ocorrer, Azambuja diz que em breve. “Assim que formatar tudo, eté o final do mês devemos ter alguma definição. Eles estão analisando agora a questão técnica, inclusive levamos um equipe para validar se aquilo que foi construído da segurança aos moradores, por que tivemos problemas de rachaduras e alguns outros. Estando tudo certo, vamos formatar um segundo ato que deve ser também um convênio de transferência financeira do Estado para prefeitura, para ela concluir as moradias dessas famílias”.

Sobre estimativa de quanto seria esse aporte, Reinaldo ressaltou que não se sabe ainda por conta de todo esse levantamento que está sendo feito e ainda será definido se o governo irá ajudar com material ou mão de obra.

Azambuja relatou também que com relação a quantidade de casa, deve ser cerca de 300 moradias. “Me parece que são mais de 300 famílias. Segundo o prefeito [Marquinhos Trad], tem 120 prontas e nśo vamos concluir o restante. Na verdade seria uma parceira para concluir as 320 moradias que são necessárias para aquelas famílias”, concluiu.

As famílias da Cidade de Deus foram removidas em março de 2016 e espalhadas em quatro outros locais, sendo no Vespasiano Martins, Pedro Teruel, Jardim Canguru e o Bom Retiro. Atualmente as familias, em alguns desses locais chegaram a iniciar as casas de alvenaria, mas sem concluir. Apenas no Vespasiano algumas famílias estão nas residências, mas sem a conclusão esperada. Enquanto isso as demais continuam vivendo em barracos.

Foto: Henrique Kawaminami/Midiamax

Jornal Midiamax