Cotidiano

Exército utilizou 900 toneladas de asfalto e espera fim das chuvas

Concessionária de água fará alteração em tubulações

Midiamax Publicado em 04/04/2017, às 14h25

None
requalificacao_asfaltica_-_aline_machado_-_midiamax_2.jpg

Concessionária de água fará alteração em tubulações

Balanço divulgado na manhã desta terça-feira (4), sobre os primeiros 50 dias do trabalho de Requalificação Urbana do Corredor Sudoeste, mostra que já foram utilizadas 900 toneladas de CBUQ  (Concreto Betuminoso Usinado a Quente). A primeira etapa deve ser concluída até o fim de abril e em seguida, com o início da estiagem, serão realizadas as obras de remendo profundo e de microdrenagens, que inclui a mudança das tubulações de abastecimento de água, que passarão por baixo da calçada.

A alteração da rede de abastecimento foi solicitada pela administração municipal para evitar intervenções futuras. No último mês a empresa confirmou ao Jornal Midiamax que fará as mudanças nas ruas Guia Lopes, Brilhante, Marechal Deodoro e Bandeirantes.

O engenheiro chefe da Seção Técnica do 9º BEC (Batalhão de Engenharia de Construção), capitão Filipe Almeida Corrêa do Nascimento, explica que os trabalhos de remendo profundo e de microdrenagens são mais complexos e por isso serão realizados na segunda etapa.

"O remendo profundo consiste na substituição  da base danificada por uma nova. Para fazer isso o tempo deve estar seco, sem chuva. O mesmo acontece com a drenagem que será feita em quase todos os cruzamentos especificados no projeto", justifica. 

Até o momento foram gastos R$ 650 mil dos R$ 23 milhões destinados ao convênio entre a Prefeitura e o Exército Brasileiro. O valor corresponde a 3% do total que será investido na recuperação dos  12,11 quilômetros de vias. "Concluímos a fresagem de quatro quadras inteiras da Rua Guia Lopes. Estamos fazendo a pintura de ligação para que possamos aplicar o CBUQ", explica. 

No mês passado, o Exército recusou três caminhões equivalentes a 30 m³ de material. O material foi rejeitado depois de passar por análise técnica. De acordo com o coronel Moacir Rangel Júnior, comandante do 3° Grupamento de Engenharia do Exército Brasileiro, a massa estava úmida e não poderia ser utilizada no recapeamento das ruas. Os militares ressaltam que a rejeição de material é prevista em até 5%.

O chefe da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutua e Serviços Públicos), Rudi Fiorese, observa que após o recapeamento, a Prefeitura abrirá licitação para a sinalização das vias. "Esse trabalho será feito por uma empresa à parte, por meio de licitação", afirma. 

A estimativa é de que sejam gastos R$ 108 mil apenas com a sinalização da Rua Guia Lopes. O valor total ainda não foi divulgado. A implantação das estações de embarque e desembarque de passageiros também será licitada.  Com as obras, os ônibus circularão em pista exclusiva na margem esquerda das vias e na Avenida Gunter Hans, junto ao canteiro central, com sinalização e baia de acesso, onde haverá o embarque e desembarque dos usuários. O lado onde passarão os ônibus, terá asfalto reforçado para aguentar o peso dos veículos. 

Conforme cronograma divulgado no início das obras, será recapeado 1,57 km entre as ruas Guia Lopes e Brilhante. A partir daí são mais 2,75 km até o terminal Bandeirantes; mais 4,92 km deste local até o Terminal Aero Rancho; as duas pistas da Gunter Hans e na etapa final, 3,87 km ao longo da Bandeirantes. A previsão é de que os trabalhos sejam concluídos no máximo em 24 meses.

Jornal Midiamax