Cotidiano

‘Está na hora de ultrapassar esse tema’, diz Marquinhos sobre tapa-buracos

Prefeito disse que já foram tapados quase 100 mil 

Wendy Tonhati Publicado em 04/05/2017, às 12h40

None
50d3f983-bd19-4dee-ac97-e9edb2450494.jpg

Prefeito disse que já foram tapados quase 100 mil 

O prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD) comentou durante o lançamento da campanha ‘Maio Amarelo’, na manhã desta quinta-feira (4), a questão da ‘buracolândia’ que tira os motoristas da Capital do sério. Para ele, o assunto deve ser ultrapassado.

 “A questão dos buracos, acredito que está na hora de ultrapassar esse tema. São quatro meses e só fala em buraco e buraco. Estamos buscando soluções para resolver os buracos. Será que na nossa cidade não tem outro problema além dos buracos? Já tapamos quase 100 mil. Vamos para outros assuntos”, disse Trad.

No começo de abril, ao chegar no 100º dia de administração, a Prefeitura de Campo Grande informou que o serviço de tapa-buracos já recuperou 90 mil buracos que, se enfileirados, somam 33 quilômetros de remendos.

Conforme dados da Sisep (Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos) o investimento destinado para tais obras foi de R$ 12,5 milhões.

O prefeito também já afirmou que o tapa-buraco é medida paliativa, pois somente o recapeamento solucionaria o problema da ‘buracolândia’ que toma conta da cidade a cada chuva. 

Radares

Sobre a questão dos radares da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) que estão desligados desde o ano passado, por causa do fim do contrato com a empresa Perkons, o prefeito afirmou que seguem sem funcionar e a licitação ainda não foi definida.

Desde o final do ano passado, os 66 operados pela Perkons, estão impedidos de aplicar autuações por excesso de velocidade e desrespeito ao sinal vermelho. Também foram desligados os “Olhos Vivos” administrados pelo Consórcio Cidade Morena, que controlava o avanço de sinal, parada na faixa e velocidade.

O contrato entre a empresa e a Prefeitura foi firmado em 2010, mas de acordo com a empresa, o Executivo municipal não a procurou para discutir um novo acordo.

Jornal Midiamax