Cotidiano

Esquina campeã de acidentes ganha “acidentômetro” enquanto semáforo não é instalado

Pedido de instalação de semáforo foi feito pela primeira vez em 2011.

Midiamax Publicado em 08/06/2017, às 13h11

None

Pedido de instalação de semáforo foi feito pela primeira vez em 2011.

Depois de presenciar dezenas de acidentes e de insistentes pedidos para que o setor de trânsito da Prefeitura instalasse um semáforo, os diretores de uma clínica médica em Dourados resolveram criar o “acidentômetro”.

Esta foi a forma encontrada pela clínica para tentar diminuir o número de acidentes na esquina das ruas Monte Alegre e João Rosa Góes, na região central de Dourados.

Ana Paula Rodrigues de Sante, gerente da clínica, afirmou que o “acidentômetro” é uma placa de quase vinte metros quadrados fixada na fachada do prédio para avisar a população dos perigos que o transito da esquina oferece.

A placa foi instalada há apenas oito meses, mas o problema se arrasta desde 2011 depois que a direção da Clínica pediu pela primeira vez para a colocação do semáforo. “O pessoal da Prefeitura veio há seis anos aqui e cortou apenas as árvores alegando que o problema estava apenas na falta de visibilidade”, disse Ana Paula.

Na placa do “Acidentômetro” estão registrado 26 acidentes na esquina. “Aconteceram mais dois acidentes”, disse a gerente que ainda não teve tempo para mandar um funcionário alterar o número de 26 para 28.

A clínica chegou a registrar um documento em cartório sobre o problema e continua esperando pela instalação do semáforo. Ana Paula diz que grande parte dos acidentes foi muito grave, mas mesmo assim, apenas uma morte aconteceu de 2011 para cá.

A placa do “acidentômetro”, conforme a gerente é um alerta para garantir a segurança dos funcionários e clientes da clinica e para diminuir a quantidade de acidentes já que no local os carros passam em alta velocidade, na rua que tem mão única. 

Jornal Midiamax