Cotidiano

Em reunião, Escola do Legislativo explica Parlamento Jovem aos diretores

6ª edição

Diego Alves Publicado em 22/06/2017, às 22h57

None

6ª edição

São 143 jovens estudantes que já participaram do Projeto Parlamento Jovem, que está na sua 6ª edição. Na tarde desta quinta-feira (22/6), a Escola do Legislativo explicou o projeto para os diretores das escolas públicas e privadas. Para o presidente da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia, deputado Pedro Kemp (PT), que fez a abertura dos trabalhos o projeto ajuda no processo de renovação da política. Em reunião, Escola do Legislativo explica Parlamento Jovem aos diretores

“O projeto desperta a consciência política do jovem e também auxilia para despertar novas lideranças. Ajuda ainda no processo de renovar o Parlamento e apresenta um caminho porque prepara o jovem neste processo. É um momento de experiência de como funciona a Casa de Leis”. 

A coordenadora da Escola do Legislativo Senador Ramez Tebet, Cheila Vendrami que conduziu a reunião técnica explicou o novo regulamento do projeto. As alterações para a próxima edição é que o mandato do deputado estudante passa a ser de dois anos, ou seja, nesta edição os deputados estudantes eleitos neste ano, terão seu mandato em 2018 e 2019. E os alunos do 8º e 9º anos podem participar o que amplia a possibilidade dos estudantes em iniciarem mais cedo a experiência no Legislativo.

“Essa ampliação atende a Assembleia Legislativa no sentido de teremos um número maior de participantes, mas também iniciar lá no ensino fundamental a discussão e a efetivação da participação política dos nossos estudantes”,reforçou a coordenadora. 

 “A nossa escola é de ensino médio, de período integral e dentro da nossa organização curricular, ela acaba que se expande dentro do projeto Parlamento Jovem, e houve uma identificação muito grande da participação do jovem como protagonista. Aqui ele desenvolve a autonomia, conhece melhor seus direitos, e o que eles aprendem, acaba que são multiplicadores dentro do ambiente escolar e também no familiar”, registrou o diretor da Escola Estadual Amélio de Carvalho Bais, Paulo Antônio Castaldeli. 

A escola participa do projeto desde sua 2ª edição. Já o acadêmico de direito, Carlos Henrique dos Santos, que é ex-deputado estudante das edições 3ª e 4ª, falou da sua experiência no projeto. “O Parlamento Jovem incentiva a participação política. Participar do projeto possibilitou abrir meus horizontes, não só dentro da política, mas também ajudou a nortear minha vida acadêmica e pessoal”, afirmou Carlos.

Ele também destacou que participou Jovem Senado e do Parlamento Jovem Brasileiro. Participaram também da reunião a coordenadora de Eleições do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), Elisabete das Neves Andreo Insaurralde, representante da Secretaria de Estado de Educação (SED-MS), Márcio Aparecido Pinheiro da Silva e o representante da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Heraldo Bojikian. História – A 1ª edição do projeto foi em 2007. 

O Parlamento Jovem é constituído de 24 deputados estudantes titulares e 24 suplentes, eleitos entre os estudantes do 8º e 9º anos do ensino fundamental e do 1º e 2º anos do ensino médio, matriculados e frequentes nos estabelecimentos de ensino de Campo Grande. Dúvidas – A escola que tiver interesse em participar do projeto pode acessar o site da Escola do Legislativo Senador Ramez Tebet, ou entrar em contato, pelo telefone 3389-6261 para obter informações. 

Jornal Midiamax