Cotidiano

Em época de chuva, leitor denuncia construção em bairro nobre com água parada

Empresa disse que vai retirar a água acumulada

Wendy Tonhati Publicado em 13/01/2017, às 14h49

None
fb8c5a6c-bbbf-446d-b991-8d6444325576.jpg

Empresa disse que vai retirar a água acumulada

Um leitor do Jornal Midiamax registrou o acúmulo de água na laje de um prédio em construção, na Rua Dom Aquino com a Rua 13 de Junho, quase em frente ao Belmar Fidalgo, em Campo Grande. A preocupação é com a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya. 

Conforme o leitor a água costuma ficar acumulada e por conta das constantes chuvas da estação, a situação se agrava. 

“Com as chuvas, tem ficado muita água empoçada, sem que nenhuma providência tenha sido tomada pela construtora ao longo desse tempo. São vários locais que tem água empoçada constantemente. Já tentamos conversar com os trabalhadores do local, mas nenhuma providência foi tomada. É um caso de saúde pública”, reclama. 

A Maxi Incorporadora, responsável pelo empreendimento, informou que a água fica acumulada no máximo dois dias, por conta das chuvas frequentes e que vai retirar a água registrada pelo leitor. 

De acordo com a Fiocruz, o ovo do Aedes mede aproximadamente 1 milímetro de comprimento, é depositado pela fêmea nas paredes internas dos criadouros. Em condições favoráveis de umidade e temperatura, o desenvolvimento do embrião é concluído em 48 horas. 

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 9 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax