Cotidiano

Bombeiros não encontram criança e buscas seguem em córrego nesta sexta

Menino desapareceu no Córrego Imbirrusu no Jardim Sayonara

Diego Alves Publicado em 20/01/2017, às 00h40

None
corrego.jpg

Menino desapareceu no Córrego Imbirrusu no Jardim Sayonara

As equipes do Corpo de Bombeiros encerraram as buscas do menino de 12 anos que desapareceu em uma enxurrada na tarde desta quinta-feira (19), no Córrego Imbirusu, no Jardim Sayonara em Campo Grande. O trabalho para encontrar o menino desaparecido continua nesta desta sexta-feira (20). A criança, segundo familiares tem idade intelectual de 7 anos, brincava com um irmão e um primo, de 14 e 16 anos, quando foi levado.

O pedreiro Rodrigo Ricaldes Flores, de 34 anos, foi o responsável por ajudar um dos meninos, que também quase foi arrastado pela correnteza. Ele contou que no momento em que os meninos tomavam banho só chuviscava na região, mas o córrego naquele ponto recebe água de outros bairros, como Santo Amaro e Santo Antônio.

Foi por isso, segundo ele, que os amigos foram surpreendidos por uma tromba d`agua. A correnteza começou a arrastar os três. O menino de 14 anos conseguiu escapar e Rodrigo Ricaldes correu para ajudar os outros dois. Ele conseguiu resgatar o mais velho, mas o de 12 anos acabou levado pelas águas.

A criança mora com o pai a poucas quadras de onde o acidente aconteceu, no Jardim Sayonara e, segundo testemunhas que auxiliaram nas buscas, teria idade intelectual de 7 anos. Abalada com o corrido, a família preferiu não conversar com a imprensa, mas acompanha as buscas de perto. O menino teria desaparecido ainda no Córrego Anhanduizinho, que logo se transforma em Imbirrusu. Equipes do Corpo de

Bombeiros, oito militares e dois mergulhadores, fazen buscas por uma área de aproximadamente 4 quilômetros do córrego na tentativa de encontrar o menino. Com o fim da chuva na Capital, o fluxo da água diminuiu e os militares estão retornando nos locais onde já realizaram buscas. Segundo o Tenente Xavier a esperança é encontrar o jovem ainda com vida. “Estamos num trabalho incansável", relatou.

Jornal Midiamax