Cotidiano

Ainda em barracos, ex-moradores da Cidade de Deus protestam no Paço

Por causa do atraso da entrega dos materiais de construção

Diego Alves Publicado em 04/08/2017, às 00h33

None

Por causa do atraso da entrega dos materiais de construção

Ex-moradores da Cidade de Deus que foram removidos para outras três favelas acampam na noite desta quinta-feira (03) em frente à Prefeitura de Campo Grande. A temperatura da Capital na noite desta quinta-feira é de treze graus.Ainda em barracos, ex-moradores da Cidade de Deus protestam no Paço

O manifesto é por causa do atraso da entrega dos materiais de construção prometidos pela prefeitura e Estado, para terminar casas inacabadas e transformar barracos em casas de alvenaria.

Aproximadamente 400 famílias foram tranferidas há mais de um ano para áreas no Vespasiano Martins, Bom Retiro, Canguru e Teruel II. Cerca de 100 pessoas participam desde junho de curso de capacitação para aprender a construir a casa própria, porém sem materiais de construção.

Segundo a Emha (Agência Municipal de Habitação de Campo Grande), um convênio celebrado entre o governo do Estado e Prefeitura para aquisição dos materiais de construção está em fase final para apreciação da Agehab (Agência Estadual de Habitação).  O município estima investimento de R$ 4,9 milhões, mas não apresentou um prazo.

Fim da Cidade de Deus

Em abril do ano passado os últimos dos 400 moradores foram retirados do Cidade de Deus. Com o fim da favela, outras três surgiram: Jardim Canguru, no Vespasiano Martins, o loteamento Bom Retiro – na região da Vila Nasser – residencial Teruel, no Dom Antônio Barbosa.

O plano da gestão municipal foi construir moradias para essas famílias; projeto conduzido pela ONG Morhar, um projeto de mutirão, que recebeu R$ 3,6 milhões dos cofres municipais, mas deixou as casas pela metade.

Jornal Midiamax