Cotidiano

Agereg já estuda contrato para reajuste na tarifa de ônibus, avisa prefeito

Aumento não foi descartado

Midiamax Publicado em 04/10/2017, às 15h46

None

Aumento não foi descartado

A população de Campo Grande pode ter de se preparar para o aumento na tarifa do transporte público. Nesta quarta-feira (4), o prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou que os estudos sobre o reajuste começaram.

O aumento é aplicado pela Prefeitura entre o fim de outubro e meados de novembro. O último reajuste foi em dezembro de 2016, quando a tarifa passou de R$ 3,25 para R$ 3,55. 

Segundo o prefeito, equipe da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Campo Grande) iniciou a análise do contrato, elementos e impactos nos valores.

De acordo com as informações, o estudo que determina o valor da tarifa tem duração, em geral, de um mês e leva em consideração índices oficiais do período mais próximo a data do reajuste e o percentual de aumento não precisa ser aprovado pela Câmara Municipal. 

O prefeito destacou que na gestão passada o aumento foi de aproximadamente 10% e que pretende manter percentual inferior. “Estamos tentando ficar abaixo disse”, declarou.

Marquinhos destacou ainda que deve manter a isenção do ISS (Imposto Sobre Serviços). Segundo ele, esta seria uma forma de reduzir o impacto no valor da tarifa, porém, não informou detalhes a respeito do assunto.

Reajuste – 

Para calcular de quanto será o reajuste, são levados em consideração a variação do preço do combustível -diesel-, o percentual de reajuste do salário do motorista -por meio de convenção coletiva da categoria-, o INPC (Índice de Preços ao Consumidor)acumulado, o IPCA-Oferta Global – valores entre a data de cálculo da tarifa em vigor e a data de elaboração do cálculo do reajuste)- e uma conta intrincada que leva em consideração o número de passageiros pagantes por quilômetro equivalente nos últimos doze meses.

Jornal Midiamax