Cotidiano

Tempestades castigam MS até o início de fevereiro, segundo Cemtec

Até agora 31 municípios decretaram emergência 

Jessica Benitez Publicado em 27/01/2016, às 17h32 - Atualizado em 19/07/2020, às 12h48

None
chuva.jpg

Até agora 31 municípios decretaram emergência 

Depois de dias seguidos de sol e calor, a previsão é de tempestade em grande parte de Mato Grosso do Sul até a próxima segunda-feira (1°) segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul) com chuvas que podem chegar a 80 milímetros. 

Nesta quarta-feira (27) a chuva fica intensa, principalmente na região do Pantanal e sul. Os moradores de Ladário, Corumbá e Porto Murtinho devem ficar atentos. Ponta Porã, Paranhos e cidades próximas engrossam a lista, sendo que o volume estimado é de 55 mm.Tempestades castigam MS até o início de fevereiro, segundo Cemtec

As temperaturas ficam entre 32-33°C no centro-sul) a 35-36°C na região pantaneira e bolsão) e 33°C em Campo Grande. Na quinta-feira (28) as chuvas podem alcançar até 50 mm em Antônio João, Ponta Porã e imediações. Sonora, Pedro Gomes, Coxim, Alcinópolis ficam em torno de 25 a 30 mm.

Na sexta-feira (29), ainda de acordo com o Cemtec, a tendência é de chuva forte em Cassilândia e todo bolsão. No norte do Estado também ela vem acompanhada de ventos severos. Os termômetros ficam entre 27- 32°C no centro-sul, 32- 33°C na região pantaneira e bolsão e 31°C na Capital.

Sábado (30) as tempestades são agravadas com ventos e descargas elétricas em todo Mato Grosso do Sul, principalmente região norte, leste e sul. No domingo (31) as chuvas podem chegar a 80 mm, principalmente região pantaneira, sul e leste. Segunda-feira (1°) chove forte em Corumbá, Ladário, Porto Murtinho, Bela Vista, Ponta Porã e cidades próximas.

Até agora 31 municípios fazem parte da lista dos que decretaram situação de emergência por conta das chuvas que castigam o Estado desde o final do ano passado. O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) se reúne com os respectivos chefes dos Executivos para estudar medidas que estaquem os danos causados pela água. Estima-se que sete mil pessoas sofreram perdas durante este período.

Jornal Midiamax