Cotidiano

Solurb nega reunião com catadores, após fechamento de área do lixão

Catadores cancelaram um protesto ao saber da suposta reunião

Alan Diógenes Publicado em 22/02/2016, às 16h54

None
interna_2_26.jpg

Catadores cancelaram um protesto ao saber da suposta reunião

A Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo de Campo Grande, negou que vai haver reunião com os catadores de materiais recicláveis, após a Justiça determinar o fechamento da área de transição do aterro sanitário no próximo domingo (28). Os catadores chegaram a cancelar na manhã de hoje (22) o protesto que fariam no local contra a decisão ao saberem de uma suposta reunião com a Solurb, que iria aàs 14h de hoje.

Solurb nega reunião com catadores, após fechamento de área do lixão

A decisão do fechamento surgiu após acordo firmado entre Solurb, Prefeitura Municipal e MPT (Ministério Público do Trabalho). Com a decisão do juiz em substituição legal na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, Marcelo Ivo de Oliveira, os catadores poderão atuar apenas na UTR (Usina de Triagem de Resíduos), organizados em cooperativas

Conforme a determinação judicial, os catadores poderão atuar apenas na UTR (Usina de Triagem de Resíduos), organizados em cooperativas Mas os trabalhadores que atuam na área de transição reclamam que a UTR não comporta os cerca de 700 catadores cadastrados. Além disso, as lideranças locais também apontam que os rendimentos dos trabalhadores cooperativados caem bastante. 

De acordo com a Prefeitura de Campo Grande, as quatro esteiras da usina acomodam 420 trabalhadores em três turnos de oito horas. A prefeitura também foi procurada para saber como irá ficar a situação dos catadores, depois da decisão de fechamento, mas não deu retorno até a publicação desta matéria.

Caso a decisão de fechamento seja descumprida, os catadores receberão multa diária de R$ 10 mil. 

Jornal Midiamax