Sindicato confirma denúncia e diz que mortes por pneumonia preocupam

Hospital Regional teve 8 mortes em apenas 7 dias
| 08/06/2016
- 00:01
Sindicato confirma denúncia e diz que mortes por pneumonia preocupam

teve 8 mortes em apenas 7 dias

O SINTSS/MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de Mato Grosso do Sul) acompanha, "com preocupação", a denúncia de que houve, em 7 dias, uma sequência de 8 mortes causadas supostamente por no Hospital Regional Rosa Pedrossian, em Campo Grande. A entidade diz ter recebido informação nesse sentido de funcionários do hospital, que também procuraram a reportagem do Jornal Midiamax.

Segundo o presidente do sindicato, Alexandre Costa, a situação é complicada, pois se a causa bacteriana for confirmada, o hospital será reincidente no problema, já que em 2003 foi investigado pelo surto de uma 'super' bactéria, responsável pela morte de pelo menos 32 pessoas.

Conforme funcionários, em uma semana, no fim de maio deste ano, 8 pacientes morreram em decorrência da doença, supostamente adquirida em leitos do HRMS. Eles temem pela própria saúde, já que a pneumonia é a sexta causa mais frequente de mortes em ambiente hospitalar e pode ser causada por microrganismos diferentes.

A reportagem do Jornal Midiamax conversou com os familiares de um paciente idoso que morreu no local no dia 1ª de junho e uma das causas na certidão de óbito é pneumonia. Os parentes dizem que ele contraiu a doença no estabelecimento.

Nos adultos, as causas mais frequentes e mais perigosas da enfermidade são as bactérias, como o Streptococcus pneumoniae, Staphylococcus aureus e Legionellae Hemophilus influenzae.

O presidente do Sindicato diz que a preocupação é não apenas com os pacientes internados, mas com os funcionários expostos durante a jornada de trabalho. O presidente ressalta que funcionários comentaram sobre as mortes, mas ainda não houve uma comunicação formal. 

"O que a gente quer deixar bem claro é que os funcionários que trabalham no Hospital Regional têm o maior zelo em cuidar dos pacientes, para que essas coisas (surtos) não aconteçam. Agora, a gente tem alertado o governo, principalmente com a questão do H1N1, mas a responsabilidade é da gestão, não dos trabalhadores que estão se expondo", disse o presidente do SINTSS, que confirmou dar início a um levantamento das mortes, ainda nesta terça-feira (7).

Sindicato confirma denúncia e diz que mortes por pneumonia preocupamO Jornal Midiamax também procurou o Sinmed-MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), que afirmou não ter conhecimento das mortes e preferiu não se posicionar a respeito.

A assessoria de imprensa da SES (Secretaria Estadual de Saúde) informou que só deve se posicionar após investigação laboratorial a respeito das supostas mortes.

Desde a última sexta-feira (3), a equipe de reportagem tenta um posicionamento do HRMS, que apenas confirmou estar "investigando a situação"

O hospital fechou, recentemente, o Núcleo de Doenças Infecto Parasitárias, situação que, para médicos ouvidos pela reportagem, que pediram para não se identificar, acaba por prejudicar o combate a doenças provocadas por microorganismos como bactérias.

Surto em 2003

No ano de 2003, o HR foi alvo de investigação por causa de uma sequência de mortes provocados pela bactéria pseudomonas aeruginosa.

Pelas contas apresentadas à época por funcionários, naquele ano ao menos 130 pessoas morreram pela ação da bactéria.

O levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, porém, indicou que 32 pacientes teriam morrido por conta da disseminação da bactéria. O MPE (Ministério Público Estadual) abriu investigação na época, mas ninguém chegou a ser punido pelas mortes.

 

 

Veja também

Comunidade Esperança, localizado no Bairro Noroeste em local conhecido como “Aterro do Noroeste” entrou em...

Últimas notícias