Cotidiano

Servidores do Judiciário trabalham de preto “em luto” por falta de reajuste

Categoria reclama permanência de veto ao reajuste

Midiamax Publicado em 25/02/2016, às 11h25

None
judiciario.jpg

Categoria reclama permanência de veto ao reajuste

De luto por falta de reajuste salarial, servidores do Judiciário Federal e do MPU (Ministério Público da União) vestiram-se de preto para trabalhar nesta quinta-feira (25). O protesto é contra a permanência do veto 26/15, da presidente Dilma Rousseff (PT) ao PLC 28/15, que previa aumento de 53% a 78,56% para a categoria.

O reajuste foi aprovado pelo Senado no dia 30 de junho, mas vetado pela presidente em 21 de julho. Segundo o Ministério do Planejamento, a sanção do aumento custaria, em quatro anos, R$ 25,7 bilhões aos cofres públicos.

O luto foi sugestão da coordenação do Sindjufe-MS ( Sindicato  dos Servidores do Poder Judiciário Federal e Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul). 

“Estamos há anos sem reajuste salarial e não desistiremos de lutar até que seja feita justiça e os trabalhadores do judiciário federal e MPU recebam salários dignos”, justifica José Carlos Oliveira, coordenador do sindicato.

Oliveira destaca a importância da manifestação dos servidores. “Precisamos manter a busca pelo reajuste salarial e das demais pautas da categoria, como a implementação da lei aprovada da isonomia dos chefes de cartório", defende. 

"Os ataques já anunciados, como a nova Reforma da Previdência, mostram a necessidade de uma unidade dos trabalhadores para barrar mais esta tentativa de precarizar o trabalho no serviço publico e dos trabalhadores da iniciativa privada", completa.

A categoria ainda deve discutir outras reivindicações como a data-base e a negociação coletiva. 

Jornal Midiamax