Cotidiano

Sem prazo para entrega, kit escolar da Reme vai custar R$ 5,5 milhões

Merenda também está em licitação

Kemila Pellin Publicado em 15/02/2016, às 18h23

None
_mg_8260_copy.jpg

Merenda também está em licitação

Os mais de 95 mil alunos da Reme (Rede Municipal de Ensino) voltaram às aulas nesta segunda-feira (15) sem receberem os cadernos, lápis, borracha e demais itens básicos de ensino, repassados anualmente pela Prefeitura. O kit escolar ainda está em fase de licitação e o preço estimado é de R$ 5.528.000,00.

Segundo o Executivo, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) distribuirá 84.404 kits, compostos por cadernos de acordo com as séries, lápis, borracha, apontador, régua, esquadro, transferidor, cola, giz de cera, caneta e uma agenda escolar. O material será destinado aos alunos da 1º ano do ensino fundamental até o 3º do ensino médio.

O prefeito Alcides Bernal informou nesta manhã que ainda não tem prazo para entrega do material, afirmando Sem prazo para entrega, kit escolar da Reme vai custar R$ 5,5 milhõesapenas que será breve. “Vou entregar como de costume para todas as crianças quando concluir a licitação”. 

Uma alteração de itens do edital, não especificada pela Prefeitura, adiou a licitação para o dia 19 de fevereiro. Nos últimos quatro anos, o atraso na entrega dos kits chegou a ultrapassar os 90 dias. 

Merenda

A merenda, que no ano passado foi alvo de discussões e até inquéritos judiciais, também está em licitação. Segundo a Semed, o processo licitatório está sendo realizado obedecendo o prazo de acordo com Lei de Licitações, e que por enquanto, o a secretaria está trabalhando por meio da Ata de Registro de Preços do ano anterior, ainda vigente até março deste ano.

A secretária Leila Machado tentou minimizar as reclamações de alguns pais, que no primeiro dia de aula dos Ceinfs (Centro de Educação Infantil) se deparam novamente com a falta de alimentos. Segundo ela, a merenda está sendo servida normalmente e “os pais podem ficar tranquilos quanto à alimentação de nossas crianças”, afirmou.

Jornal Midiamax