Cotidiano

Seleta demite 89 funcionários e aguarda verba da Prefeitura para rescisão

Sem acerto, servidores não conseguem dar entrada no seguro

Kemila Pellin Publicado em 26/02/2016, às 21h01

None
download.jpg

Sem acerto, servidores não conseguem dar entrada no seguro

Pelo menos 89 funcionários da Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária) de Campo Grande foram demitidos e estão sem receber a rescisão desde o dia 3 deste mês. O motivo, segundo a instituição, é a falta de repasse da Prefeitura para quitação dos débitos.

Uma cozinheira, que preferiu não se identificar, está na lista dos demitidos e destacou que a demora no acerto tem complicado a vida da família, visto que sem os documentos da rescisão, ela não consegue retirar o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e nem dar entrada no seguro desemprego. “Já vai fazer um mês que fomos mandados embora e até agora nada. Não dá para levar essa situação adiante”, afirmou.

Ainda segundo a cozinheira, mais de 150 pessoas foram demitidos de uma única vez, quando a Prefeitura decidiu fazer 'um limpa' na folha de pagamentos.

Já a Seleta explicou que recebeu uma solicitação da prefeitura, no inicio de fevereiro, para efetuar uma prévia financeira e demitir 89 servidores listados pela próprio Executivo. “Foi efetuado o cálculo das demissões e repassado para a Prefeitura fazer provimento dos recurso, estamos no aguardo até o momento”, finalizou o presidente Gilbraz Marques da Silva.

A Prefeitura foi procurada pela reportagem, mas não respondeu até o fechamento deste texto.

Jornal Midiamax