Cotidiano

Repercusão: UEMS vai analisar situação de estudante que matou a gata Vivi

Acadêmico diz que o crime foi uma 'brincadeira'

Padrão do site Publicado em 27/01/2016, às 12h17

None
estudante_3.jpg

Acadêmico diz que o crime foi uma 'brincadeira'

A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) voltou a se pronunciar sobre o acontecimento que envolveu o acadêmico da instituição, Leonardo Lyrio, de 24 anos do curso de Medicina, que matou na última sexta-feira (22) a 'gata Vivi', com uma espingarda de pressão.

Inicialmente a Universidade declarou por telefone à equipe de reportagem do Midiamax que não poderia realizar nenhum tipo de punição, mas em nota oficial divulgada na manhã desta quarta-feira (27), voltou atrás no seu pronunciamento e afirmou que “o caso será analisado pelo Conselho de Ética da Universidade, juntamente com o departamento jurídico”.

Em nota, a Instituição lamenta e diz repudiar a atitude do estudante. “Embora o fato não tenha ocorrido nas dependências da Instituição, ou durante qualquer atividade acadêmica, a UEMS lamenta e repudia o episódio que envolveu um de seus estudantes e o caso, que já tramita devidamente na justiça, também será analisado pelo Conselho de Ética da Universidade, juntamente com o departamento jurídico”. Ainda de acordo com a Universidade, a situação será analisada com base nas legislações internas da instituição.

O caso

Na tarde desta segunda-feira (25) Leonardo Lyrio de Souza, 24 anos, se apresentou à equipe da Decart (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista) depois de ser localizado e intimado. Na ocasião ele justificou a atitude como “uma brincadeira que acabou mal”.

A gatinha chamada Vivi foi atingida por tiro de arma de pressão disparado pelo acadêmico na madrugada do última sexta-feira (22) no bairro Monte Carlo, região norte de Campo Grande. A felina chegou a ser atendida e passou por cirurgia, mas acabou não resistindo ao ferimento.

Confira na íntegra a nota de Esclarecimento da UEMS:

"Na última sexta-feira (22) um acontecimento lamentável comoveu muitas pessoas em Mato Grosso do Sul: segundo informações veiculadas pela imprensa e já de conhecimento público, uma gata foi morta após ser atingida por um tiro de espingarda de pressão.

O autor do disparo é aluno da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e, embora o fato não tenha ocorrido nas dependências da Instituição, ou durante qualquer atividade acadêmica, a UEMS lamenta e repudia o episódio que envolveu um de seus estudantes.

O caso, que já tramita devidamente na justiça, também será analisado pelo Conselho de Ética da Universidade, juntamente com o departamento jurídico. Os setores responsáveis analisarão o caso com base nas legislações internas da instituição.

A Universidade também se coloca à inteira disposição da justiça para auxiliar, no que lhe couber, no esclarecimento deste ou de qualquer outro incidente que envolva um de seus alunos ou servidores".

Jornal Midiamax