Cotidiano

Registro de ‘doenças do Aedes” caíram quase 90%, diz Prefeitura

De 311 casos ao dia em janeiro para 43 em abril

Midiamax Publicado em 05/04/2016, às 21h12

None
dengue_sintomas.jpg

De 311 casos ao dia em janeiro para 43 em abril

Os casos notificados de dengue, chikungunya e zika vírus diminuíram cerca de 90% em Campo Grande, de janeiro a abril, segundo a Prefeitura. O auge de notificações ao dia foi quando o fumacê deixou de passar devido a falta de inseticida.

Em janeiro eram 311,67 casos/dia, e neste mês passou para 43,12 casos ao dia, uma queda de 86,2%, ou seja, menos 268 casos. Segundo a Prefeitura, a explicação está nas ações de combate ao mosquito Aedes aegypti.

Ainda de acordo com a Prefeitura, as notificações caíram significativamente nas primeiras semanas de fevereiro/2016, quando os boletins apontavam 688 casos entre os dias 1 e 15 de fevereiro, representando uma média diária de 45,86 notificações. Mas, no dia 18 de fevereiro os estoques de inseticida terminaram, sendo entregue depois um galão de 200 litros, mas com validade vencida em 2013, o que impedia o uso. Com isso, o fumacê deixou de passare, segundo a Prefeitura, os casos voltaram a aumentar. O serviço foi retomado um mês depois, em 18 de março.

Em relação à chikungunya, neste mês de abril nenhum caso suspeito foi notificado, sendo que em março eram 37 as suspeitas da doença.

Os casos de zika Vírus também diminuíram, de 928 casos suspeitos notificados (sem nenhuma confirmação) em março para 73 casos nos primeiros dias de abril.

Jornal Midiamax