Cotidiano

Professores diminuem de 40 para 10 dias prazo para resposta sobre reajuste

ACP propôs prazo para Bernal avaliar as contas 

Evelin Cáceres Publicado em 17/03/2016, às 15h08

None
img-20160317-wa0046.jpg

ACP propôs prazo para Bernal avaliar as contas 

O professor Lucílio Souza Nobre, representante da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação) quer reduzir o prazo dado pela categoria para o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) avaliar as contas e o reajuste de 40 para dez dias. “O prefeito Bernal disse que não tem condições de cumprir por questões financeiras. Mas não dá para admitir, pois isso significa descumprimento da lei”, afirmou na Câmara nesta quinta-feira (17).

Paulo Siufi (PMDB) alfinetou o prefeito, afirmando que Bernal teria prometido exonerar comissionados para diminuir a folha de pagamento e que não tomou nenhuma atitude até agora.

Chiquinho Telles (PSD) relembrou discurso de Paulo Pedra quando era vereador. “O Pedra vivia dizendo que prefeitura tinha sim dinheiro para pagar o piso e agora mudou completamente o discurso”.

Luiza Ribeiro defendeu que havia dinheiro na gestão de Bernal, mas que Olarte fez ‘um limpa’ nos caixas da Prefeitura. “Faço questão de integrar a comissão da ACP para cumprimento do piso salarial” e foi atacada por Siufi e Carla Stephanini (PMDB), questionada sobre os comissionados e para onde teria ido o saldo positivo da prestação de contas da administração municipal.

Vaiado, Herculano Borges disse que o movimento da ACP foi politizado e acabou vaiado pela categoria. “Quero deixar claro que estava falando de muitos que vinham à Câmara reivindicar e depois assumiram cargos em secretarias, deixando de lado a categoria”.

O presidente João Rocha (PSDB) anunciou que os vereadores da Comissão de Educação da Casa irão fazer parte das reuniões entre ACP e Prefeitura para tentarem o cumprimento da lei. 

Jornal Midiamax