Cotidiano

Primavera vai ser de muito calor e pode ter tempestades com granizo

Temporada das flores deve ter chuvas irregulares

Wendy Tonhati Publicado em 22/09/2016, às 11h15

None
primavera.jpg

Temporada das flores deve ter chuvas irregulares

A Primavera, temporada das flores, tem início exatamente às 10h21 desta quinta-feira (22), que começou ensolarada em Campo Grande. No começo desta manhã, os termômetros marcavam 16 °C, com previsão de calor durante o dia. E por falar de calor, a Primavera vai ser quente e com chuva dentro da média em Mato Grosso do Sul. 

A estação mais bonita do ano é a transição entre o inverno seco e a estação chuvosa do verão. Ocorrem mudanças no regime de chuvas e temperaturas na maior parte do estado. As chuvas são mais intensas e frequentes. Tornam-se mais comuns as formações de nuvens carregadas, iniciam-se as pancadas de chuva no final da tarde ao começo da noite.

De acordo com o meteorologista Natálio Abrão Filho, da Uniderp/Anhanguera, o fenômeno meteorológico La Niña não vai ter grande influência nesta ano, deixando as chuvas irregulares e compossibilidade de ventos forte e formação de granizo. Primavera vai ser de muito calor e pode ter tempestades com granizo

“No contexto da estação, há tendência da neutralidade em evolução para um La Niña o que não é bom para o Estado. O resfriamento das águas do Oceano Pacifico não favorece a evaporação que alimenta a umidade na Amazônia. Nem a direção dos ventos é favorável. Como consequência reduz a nebulosidade no centro-oeste que também pode produzir veranicos tornando as chuvas irregulares e mal distribuídas no Estado”, diz.

Chuvas

Conforme o meteorologista, na região sul do Estado espera-se valores dentro a acima das medias de pluviometria nos meses de outubro e novembro e dentro da media em  dezembro. No restante do Estado, modelos indicam tendência nas médias históricas.

Estas chuvas, com variações intensas podem provocar enchentes, inundações e transbordamentos. Os locais que exigem mais atenção são as bacias em Dourados, Rio Brilhante, Ivinhema, Angélica e no extremo sul entre Amambaí, Sete Quedas, Mundo Novo, Iguatemi e Naviraí. 

Na região central em Campo Grande, Ribas do Rio Pardo, Aquidauana e Sidrolândia. Essas condições estão dentro de 80% de chances de ocorrer. Regiões norte e nordeste do Estado, contrastando, chuvas podem ocorrer abaixo da média.

Calor

As temperaturas vão se elevar e podem ficar até 4 °C acima dos valores médios máximos absolutos em momentos de massa de ar seca e mais de cinco dias sem chuva, comuns nas regiões norte, oeste e leste e na região central.

Campo Grande, Corumbá, Ladário, Três Lagoas, Coxim e Sonora, Alcinópolis, Cassilândia e Pedro Gomes, devem apresentar temperaturas entre 37 e 40 °C em outubro e na primeira semana de novembro, caracterizando o mês mais quente do ano, mas não o mais quente na década, no Estado.

Umidade relativa do ar

A umidade relativa historicamente apresenta números aceitáveis desde o começo ao fim da primavera. Pode-se, ainda, esperar valores mínimos abaixo dos 30% em setembro e alguns dias no mês de outubro, muito raramente em dezembro.

Ventos


O encontro de massas de ar quente e frentes frias adentrando pelo sul do Estado nos meses de outubro e novembro, vem acompanhados de rajadas de ventos, algumas acima dos 50 km/h podendo chegar aos 80 km/h.

A região centro-sul, entre Campo Grande, Dourados, Ponta Porã, Amambaí e Sete Quedas, também no sudeste em Angélica, Ivinhema, Novo Horizonte e Naviraí, vão ser as mais expostas a estes eventos.

Estes sistemas associadas a ventos fortes devem trazer também, trovoadas, raios e granizos.

Jornal Midiamax