Cotidiano

Prefeitura e creche divergem sobre repasse e crianças ficam sem atendimento

Funcionárias paralisaram trabalho

Midiamax Publicado em 27/10/2016, às 12h10

None
manifestacao_recreadoras_-_whatsapp_1.jpg

Funcionárias paralisaram trabalho

Discussão sobre a responsabilidade pelo atraso do repasse feito pela Prefeitura por meio da Semed (Secretaria Municipal de Educação) ao CEI (Centro de Educação infantil) João Paulo II (Associação Clube de Mães Unidos Venceremos e Associação João Paulo II), continua ainda na manhã desta quinta-feira (27) e as crianças permanecem sem atendimento. 

Os trabalhos foram interrompidos na terça-feira (25), quando as funcionárias decidiram paralisar as atividades. Segundo elas, os salários refentes a agosto e setembro não tinham sido depositados. 

À equipe de reportagem do Jornal Midiamax a assessoria de comunicação da Prefeitura assegura que o repasse está regular. "Esclarecemos que a Semed faz repasse de verba à Associação Clube de Mães Unidos Venceremos, que é responsável por este CEI. Verificamos os repasses a essa entidade “Unidos Venceremos”, o que se encontra regular", afirma.

O município alega ter feito cinco repasses no valor de R$ 93.822,34, cada, sendo depositados em 11 de maio, 24 de junho, 12 de agosto, 24 de setembro e o último em 26 de outubro. 

Enquanto a administração municipal garante que o valor foi pago regularmente, a tesoureira Rosemar Rodrigues Costa, alega que o repasse estava atrasado e nega ter recebido em setembro.

"Esse atraso não foi da nossa parte. O que cai na conta já retiramos e pagamos os funcionários, mas a Prefeitura não tinha repassado. O  convênio foi dividido em cinco parcelas bimestrais e eu só posso pagar quando a Prefeitura faz o repasse e eles não tinham feito o repasse de setembro", defende.

Conforme as informações, com o repasse realizado no fim da tarde de ontem, a associação fará os pagamentos referentes a agosto e setembro. "Vamos pagar até as 11 horas de hoje", garante.

Apesar de confirmar os pagamentos em atraso, a tesoureira da Associação diz que a creche tem 30 dias  para fazer a prestação de contas necessária para a realização de um novo repasse, o que significa que haverá novo atraso no pagamento referente ao mês de outubro. Questionada sobre o que é possível fazer para evitar a situação, a resposta é: "como não temos dinheiro para pagar, não sei o que fazer", declara.

A presidente do Senalba-MS (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional do Estado), Maria Joana Barreto Pereira, observa que com o pagamento, as funcionárias devem retomar as atividades nesta sexta-feira (28). Ao todo o local conta com 32 funcionários e atende aproximadamente 150 crianças. 

Jornal Midiamax