Cotidiano

Policiais Civis querem 20% de reajuste e vão parar no dia 1º de abril

Sinpol quer inicial de R$ 4,4 mil

Ludyney Moura Publicado em 14/03/2016, às 15h04

None
dsc_0040.jpg

Sinpol quer inicial de R$ 4,4 mil

Com o discurso de contenção de gastos e dificuldades na arrecadação, o governo estadual poderá ter dificuldades em atender o índice de reajuste definido pelo Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis) em Assembleia. A categoria quer um reajuste em 2016 de 20,20%.

De acordo com o sindicato, um investigador de polícia em início de carreira ganha o equivalente a R$ 3.668,17. O índice a ser solicitado ao governo, é de  20,20% de ganho real  que totaliza R$4.409,14, fora a inflação dos últimos dois anos.Policiais Civis querem 20% de reajuste e vão parar no dia 1º de abril

“É inadmissível que um policial civil, que tem graduação em nível superior, muitos pós-graduados, recebam o salário equivalente ao de nível médio. Principalmente, aos considerarmos que o trabalho policial é uma atividade diferenciada e que é primordial para que a sociedade tenha segurança e justiça”, afirmou o presidente do Sinpol, Giancarlo Miranda.

Os policiais querem equiparar, até 2018, sua remuneração à escolaridade exigida para ingresso na instituição (nível superior, desde 2005). A assembleia da categoria que definiu o índice aconteceu no último sábado (12) e reuniu, segundo o sindicato, cerca de 600 agentes.

Pressão

Como forma de pressionar o governo, os policiais também decidiram paralisar suas atividades nas delegacias de todo o Estado no dia 1º de abril, por 12 horas. O Sinpol também promete ações programadas para mobilizar e valorizar a categorias. Palestras e até mesmo uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa estão agendadas.

“O governador Reinaldo Azambuja assinou um compromisso com os policiais civis de reposicioná-los entre os cinco melhores pagos do país, esperamos que ele cumpra o compromisso. Caso contrário, a categoria está preparada para lutar por sua valorização, não descartando até mesmo a hipótese de greve”, disse Giancarlo.

Uma reunião agendada para o próximo dia 31 de março, entre representantes da administração Reinaldo Azambuja (PSDB), e representantes dos servidores. O Sinpol usará como argumento para tentar convencer o governo, o alto índice de resolutividade de crimes em Mato Grosso do Sul (70%), como prova da ‘dedicação’ dos agentes.

“Em muitos casos, tendo que pagar com o seu próprio dinheiro o combustível das viaturas para fazerem diligências e pequenos reparos”, finalizou o sindicalista. 

Jornal Midiamax