Cotidiano

Pais reclamam de recomendação que proíbe ‘Pai Nosso’ em escolas da Capital

Recomendação proíbe manifestações religiosas

Joaquim Padilha Publicado em 02/04/2016, às 16h55

None
imaculada.jpg

Recomendação proíbe manifestações religiosas

Uma recomendação do MPE (Ministério Público Estadual) feita à Semed (Secretaria Municipal de Educação) alertou que estão "proibidas qualquer manifestação de cunho religioso" nas salas de aula das escolas municipais de Campo Grande. A proibição gerou questionamento por parte de pais e mães de alunos, principalmente de colégios de origem religiosa, que não foram alertados da mudança. 

A manicure Lucilene Braga Olímpio, mãe e irmã de alunos da Escola Municipal Imaculada Conceição, afirmou que havia sido marcado ontem (1º), para às 17h, um protesto contra a medida com a participação do promotor Sérgio Harfouche, na frente da escola, mas que nem todos puderam comparecer e o evento acabou não acontecendo. 

Questionada se acredita que a proibição é desnecessária, Lucilene diz que "com certeza, que mal poderia fazer às crianças?". A proibição, segundo a assessoria da prefeitura, foi feita em conformidade com o pedido do MPE, feito por intermédio da promotora Jaceguara Dantas da Silva, e estendida a todas as escolas da prefeitura.

Lucilene questiona que outras questões deveriam ser alvo de preocupação das autoridades, e não as orações. "O que faz mal [às crianças] não é isso, é só ter arroz puro pra comer, ficar sem água gelada", afirmou a manicure.

(Sob supervisão de Evelin Araujo) 

Jornal Midiamax