Cotidiano

Pacientes denunciam brechó na sala do posto, mas Sesau desconhece ‘comércio’

​O comércio acontece nas salas que eram para atender pacientes

Midiamax Publicado em 29/01/2016, às 18h04

None
6180a767-2f0a-4ca8-9353-c47b1064eb23.jpg

​O comércio acontece nas salas que eram para atender pacientes

​Usuários da UBS (Unidade Básica de Saúde) Dona Neta, localizada no Bairro Guanandi, região sul de Campo Grande, denunciaram ao Jornal Midiamax um ‘brechó’ realizado nas salas que deveriam ser usadas para atendimento médico.

De acordo com a denúncia, o ‘Brechó da Dona Neta’ funciona há mais de quatro meses e as responsáveis pelo comércio, a enfermeira chefe e a gerente, alegam que a comercialização das mercadorias é porque o dinheiro recebido da Prefeitura não é suficiente para manter a unidade funcionando.

As duas servidoras foram contratadas na gestão do ex-prefeito Gilmar Olarte. Os usuários também contaram ao Jornal Midiamax que no local já foram comercializados artesanatos, cartelas de bingo, rifas e até marmitas foram vendidas durante horário de atendimento a população.

A arrecadação das roupas e produtos era solicitada aos pacientes da região e os bilhetes eram vendidos para os moradores da região. Os valores arrecadados com as vendas eram anotados na agenda da gerência, que também fazia o controle das vendas.

Na denúncia, os usuários ainda disseram que na manhã desta quinta-feira (28), equipes da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Prefeitura e Conselhos de Saúde estiveram na unidade para fiscalizar o trabalho e se depararam com o comércio de roupas nas salas de atendimento que estavam fechadas e cheias de roupas coletadas pela população para a venda.

Conforme a enfermeira Lívia, a denúncia é inverídica e infundada. A servidora disse que trabalha a dois anos na unidade e nunca teve comércio no local. Ela ressaltou que funcionário público é proibido de comercializar dentro dos órgãos públicos e que qualquer coisa que seja feira fora das atribuições é necessária ter uma autorização da Secretaria da Saúde.

A Prefeitura de Campo Grande, por meio de sua assessoria de comunicação, disse que recebeu a denúncia de que havia um ‘brechó’ na unidade Dona Neta. Uma equipe da Prefeitura e Sesau foram até a UBS e constatou que, naquele momento, não havia nada que caracterizasse esse tipo de comércio.

Jornal Midiamax