Cotidiano

Núcleo de Direitos da Mulher discute cultura do estupro em audiência pública

Evento será nesta sexta-feira (1)

Daiane Libero Publicado em 29/06/2016, às 14h34

None
protesto.jpg

Evento será nesta sexta-feira (1)

A Defensoria Pública do Estado, por meio do Nudem (Núcleo Institucional de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher), realiza audiência pública para discutir o tema "Cultura do Estupro" nesta sexta-feira (1), às 13h30. A audiência será aberta à comunidade campo-grandense. “O Nudem decidiu convocar todos os segmentos da sociedade e autoridades para em audiência pública enfrentar a discussão do tema a fim de compilar sugestões, compromissos, projetos e ações concretas que visem a desconstrução da cultura do estupro”, explicou a coordenadora do Nudem, Edmeiry Silara Broch Festi. 

A mesa de debates também contará com a colaboração das defensoras públicas Graziele Carra Dias Ocáriz e Thaís Dominato Silva Teixeira. De acordo com informações fornecidas pela Central de Atendimento à Mulher, o Ligue 180 registrou em 2015 cerca de 10 casos de violência sexual por dia, com um aumento de 165,27% no número de estupros em relação ao levantamento anterior. “Em uma época em que as informações estão disponíveis de modo viral na internet e nos aplicativos de celular, queremos trazer a discussão dos direitos humanos da mulher, demonstrando que não se trata de defesa de uma ‘ideologia’, pois estamos falando de realidade estampada em números absurdos de violação de direitos, que deveria ser inaceitável em qualquer estado democrático”, diz Edmeiry. 

Além disso, dados do Mapa da Violência de 2015 mostram que entre 2003 e 2013, o número de vítimas de homicídio do sexo feminino passou de 3.937 para 4.762, um aumento de 21% na década, segundo informações confirmadas pela Defensoria. Para a coordenadora do Nudem, os dados mostram a necessidade de intensificar ações para provocar a mudança da cultura que banaliza a violência contra a mulher. Além disso, há o peso do caso da garota de 16 anos estuprada por 33 homens no Rio de Janeiro, situação que chocou o Brasil no começo do mês passado, quando vídeos e fotos da violência rodaram o País. 

SERVIÇO – A audiência será na Escola Superior da Defensoria Pública, na rua Raul Pires Barbosa, 1519, Chácara Cachoeira. A entrada é aberta ao público e o evento se encerra às 16h30. 

Jornal Midiamax