Cotidiano

Mãe reclama da falta de agulhas para insulina em postos de saúde da Capital

Produto estaria em falta para comprar em farmácia

Wendy Tonhati Publicado em 27/01/2016, às 15h53

None
img-20160127-wa0017.jpg

Produto estaria em falta para comprar em farmácia

A dona de casa Ana Maria de Souza tem vivido uma peregrinação a postos de saúde de Campo Grande, para tentar encontrar as agulhas necessárias para a aplicação de insulina na filha, de 11 anos. A menina tem diabetes tipo 1 e há aproximadamente, dois meses, as agulhas pararam de ser encontradas na rede pública de saúde, segundo a mãe. 

Ana Maria diz que vai a um posto, é informada que não há o material, que é para ir ao CEM (Centro de Especialidades Médicas), lá, como também não tem, ela tem de ir para outro posto, tudo de ônibus.

Na manhã desta quarta-feira (27), a dona de casa foi a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Mata do Jacinto, onde mora e também não encontrou as agulhas. 

“Casa pacote com dez unidades custa R$ 25 na farmácia e já está em falta em algumas. É um absurdo e tem um monte de gente reclamando. Todo dia ela faz uso e não pode reutilizar a mesma”, diz.

Conforme a dona de casa no posto de saúde, até a farmacêutica já estaria nervosa com a falta e descontando nos pacientes. “A gente chega para perguntar e não sei se ela já está nevosa por não ter, e [a farmacêutica] já fala: Não tem, não tem. Não deixa nem perguntar”, reclama.

A dona de casa diz que já entrou em contato com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) para saber quando as agulhas vão estar disponíveis, mas não obteve uma resposta precisa. “Falam que estão providenciando, mas nunca chega. A gente vai aos postos porque precisa”. 

Os portadores de diabetes tipo 1 necessitam injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores normais e há risco de vida se as doses de insulina não são dadas diariamente. O diabetes tipo 1, embora ocorra em qualquer idade, é mais comum ser diagnosticado em crianças, adolescentes ou adultos jovens.

Recentemente, vários usuários do sistema público de saúde tiveram dificuldades em encontrar as fitas usadas para medir glicemia nos postos de saúde.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande sobre a situação das agulhas, mas até o fechamento deste texto, não havia resposta.Mãe reclama da falta de agulhas para insulina em postos de saúde da Capital

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax