Cotidiano

Igrejas celebram Paixão de Cristo e reúnem milhares de fiéis

Celebrações tiveram início entre 15h e 16h

Guilherme Cavalcante Publicado em 25/03/2016, às 19h20

None
img-20160325-wa0012.jpg

Celebrações tiveram início entre 15h e 16h

Católicos da cidade inteira estão, neste momento, em diversas paróquias da cidade. É que nesta sexta-feira (25), as celebrações que remetem à Paixão de Cristo começam por volta das 15h e tentam acompanhar o horário dos últimos minutos de Jesus de seu sacrifício na cruz. É uma das datas de maior importância no calendário católico – faz parte do Tríduo Pascal, iniciado ontem, com a missa de lava-pés.

Na paróquia de Nossa Senhora da Abadia, no bairro Chácara Cachoeira, a celebração é voltada aos membros da arquidiocese. Quem celebra o ritual é o próprio Dom Dimas, arcebispo de Campo Grande. "É neste dia que se lembra o quão forte é a paixão de Cristo pelo ser humano. Ele morreu por nós, seu sangue salvou nossos pecados, e rememoramos a data a cada ano para celebrar, também, nossa própria renovação. Hoje, especialmente, estamos rezando pelos governantes, pela paz mundial e pelo nosso povo", declarou o arcebispo.

Também presente na igreja, o seminarista Lininker Mateus destacou que o ponto alto da celebração será uma procissão realizada nas ruas do bairro. "Não é nada alusivo à Paixão de Cristo, nós apenas rezamos e pedimos bênçãos o bairro. Para nós, esse momento do calendário católico é muito importante e nos empenhamos muito para que o feriado seja de renovação", afirmou.

A expectativa de público é de cerca de 200 pessoas, não é muita coisa, já que a celebração é um tanto quanto voltada aos membros da cúria. Mas todos são bem vindos ao local, como a cerimonialista Cynara Miranda, 41, que estava em silêncio, olhos fechados e visivelmente concentrada quando nossa equipe a abordou. "Vim agradecer a família que tenho e pedir a Deus que as pessoas tenham fé, devido a esse momento complicado que a gente vive", relatou.

Fiéis na igreja

A advogada Lúcia Rocha, 53, que está na igreja acompanhada do esposo, o administrador Roberto Hyad, 53, afirmou ser frequentadora daquela paróquia todos os domingos e que durante a Semana Santa costuma ir com o marido a retiros espirituais, mas que este ano eles preferiram ir a igreja. "A celebração de hoje tem significado especial. Este momento relembra os primeiros cristãos, o próprio Cristo e seus sacrifícios", conclui.

Já no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na região central da cidade, cerca de mil pessoas celebram a paixão de cristo, como a dona de casa Roseli Fonseca, de 33 anos. "Aqui na paróquia, durante 2016, nós comemoramos o Ano Santo da Misericódia, que vai até novembro. Passamos quase o ano todo dedicados a refletir a páscoa. E este é o ponto alto do ano. É uma alegria, como católica, estar aqui e ver esta igreja cheia", declarou.

Da mesma forma, o estudante cuiabano Américo Braga, de 21 anos, que veio a Campo Grande passar o feriado, não dispensou de comparecer a uma das celebrações mais famosas da cidade. "Fantástico isso aqui, muito bonito. É uma celebração com muita música, muita prece. É emocionante ver a igreja lotada, com gente ficando pra fora, para celebrar a Paixão de Cristo", concluiu.

Uma encenação da Via Sacra está marcada para acontecer a partir das 19h no Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Jornal Midiamax