Cotidiano

Governo paga em março reajuste de professores e cobra ‘melhor educação’

Salário base será de R$ 3.151,68 por 40 horas semanais

Kemila Pellin Publicado em 23/02/2016, às 20h38

None
img-20160223-wa0072.jpg

Salário base será de R$ 3.151,68 por 40 horas semanais

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja assinou nesta terça-feira (23), o decreto que garante aos professores da rede estadual de ensino, 11,36% de aumento, refente ao reajuste anual, repassado pelo MEC (Ministério de Educação) em janeiro. Com a medida, o salário da categoria passa a ser o maior do país, mas em contrapartida Azambuja 'pediu' para que a educação no Estado também seja um exemplo as demais.

Ao todo, são 9.112 professores efetivos em Mato Grosso do Sul, que já vão receber o reajuste em março, na folha de pagamento relativa ao mês de fevereiro. Os contratos também serão beneficiados pelo acordo, mas só recebem em abril, visto que as aulas da escolas estaduais voltam apenas no dia 29 deste mês.

O presidente da Fetemes (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli destacou que o reajuste representa um marco histórico para o Estado. “É a primeira vez que os professores de MS vão ter o melhor o melhor salário pago em todo o território nacional”, destacou.

Com a correção, o professor de nível médio vai receber R$ 3.151,68 por 40 horas semanais e o de nível superior, terá remuneração inicial de R$ 4.727,67.

Reinado destacou que o reajuste só foi possível com planejamento, onde entram as questões tributárias, como aumentos de impostos sobre os supérfluos e IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores).

Integralização do piso

Em maio de 2015 a categoria decidiu entrar em greve para garantir a integralização do piso. Depois que o governo o parcelamento do reajuste até 2021, repassando 4,32% em outubro do mesmo ano. Os professores não aceitaram a proposta e exigiram 10,98% de reajuste e a equiparação do piso até 2018.

Em reposta, o governo estadual afirmou que os servidores já receberam o reajuste, uma vez o ex-govenrador do Estado, André Puccinelli antecipou a data-base para dezembro de 2014. O TJMS (Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul), concordou com o argumento e entendeu que as reivindicações dos professores estavam sendo feitas fora do prazo.

Diante disse, o Judiciário convocou uma reunião de conciliação e apresentou sugestão de integralização até 2021, com repasse de 4,37% em outubro de cada ano. A categoria acatou a decisão.

Kits e uniformes

Azambuja ainda garantiu que no primeiro dia de aula, prevista para 29 de fevereiro, os alunos receberam os kits escolares e os uniformes. No ano passado, o material só foi entregue em julho.

Jornal Midiamax