Cotidiano

Férias de secretários atrasaram transferência de família da Cidade de Deus

Famílias seriam transferidas em janeiro

Midiamax Publicado em 28/01/2016, às 21h33

None
dirceu_peters_-_midiamax_ok.jpg

Famílias seriam transferidas em janeiro

O titular da Emha (Agência Municipal de Habitação de Campo Grande), Dirceu Peters, afirma que o período de férias dos secretários que compõem o Comitê de Gestão de Crise atrasou a transferência das 300 famílias da Cidade de Deus para uma nova área. A mudança estava prevista para que fosse concluída até o fim de janeiro.

“Estava muita gente de férias e não conseguimos marcar para este mês a reunião do Comitê de Gestão de Crise”, justifica. No dia 10 de dezembro de 2015, durante negociação para que os moradores desbloqueassem a BR-262, interditada por eles, após a Enersiga cortar a energia elétrica da favela, o secretário havia garantido que a transferência seria realizada até o fim de janeiro deste ano, “Estamos próximos de resolver isso. Atá o fim de janeiro”, disse o secretário na ocasião.

Em entrevista a equipe de reportagem do Jornal Midiamax, na tarde desta quinta-feira (28), o secretário informou que a estratégia de transferência das famílias deve ser apresentada e aprovada pelo Comitê durante reunião com os secretários e  equipe da Polícia Miliar, que compõem o grupo.

“Temos uma estratégia e precisamos saber se combina com a da Polícia Militar que se baseou no levantamento sobre a situação do local. Se não combinar, teremos de fazer uma estratégia em comum”, explica o secretário. De acordo com as informações, ainda não há data definida para a reunião que deve acontecer na próxima semana.

O Comitê conta com a participações dos secretários da Emha, Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública), Funsat ( Fundação Social do Trabalho de Campo Grande), Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), Semsp (Secretaria Municipal de Segurança Pública), Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), além da Polícia Militar.

Serão transferidas 300 famílias cadastradas na Emha e que atendem aos requisitos exigidos no programa habitacional do governo Federal, Minha Casa, Minha Vida.

Área de transferência –

Em dezembro do ano passado o secretário disse que as famílias irão receber um lote de no mínimo 10 por 20, próximo da Cidade de Deus, no entanto, o local exato ainda não foi informado para evitar possíveis invasões.

Jornal Midiamax