Cotidiano

Equipe da Defesa Civil analisa estrago provocado por rompimento de barragem

Pontos críticos estão sendo monitorados

Midiamax Publicado em 10/05/2016, às 16h04

None
13139283_274240259578375_6815763153330743809_n.jpg

Pontos críticos estão sendo monitorados

Uma equipe da Defesa Civil de Iguatemi, distante 466 quilômetros de Campo Grande, analisa o estrago e prejuízo provocados pelo rompimento da barragem de concreto do Rio Piraí, a cerca de 50 metros da ponte da MS 295, no município localizado na região sul do Estado. Ainda chove no município e a preocupação é com deslizamentos e crateras de até seis metros de profundidade registrados em quatro pontos da MS-180. A área está sendo monitorada.

A assessoria de comunicação da Defesa Civil do município diz que ainda não é possível estimar o valor do prejuízo e que o levantamento deve ser concluído até o fim da tarde desta terça-feira (10).

Segundo as informações, uma equipe da Agesul ( Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) também será encaminhada para analisar a situação da barragem. A empresa responsável pela rodovia foi acionada e deve tomar as providências cabíveis.

O rompimento ocorreu nessa segunda-feira (9). A princípio, em nota publicada ontem, a Defesa Civil expressou preocupação em relação a possibilidade total da barragem, o que já foi descartado. De acordo com a assessoria de comunicação, apesar da proximidade com a ponte, a assessoria de comunicação garante que o rompimento não oferece risco maior.

Conforme as informações, a situação também é preocupante em estradas que permitem acesso a propriedades rurais, que tiveram pontes encobertas pela água do Rio Panduí.

Estado de emergência –

Iguatemi decretou estado de emergência em setembro de 2015, depois que a cidade foi atingida por uma chuva de granizo que danificou cerca de três mil casas, além de, chuvas torrenciais de alagaram casas e deixaram estradas inacessíveis.  

Jornal Midiamax