Cotidiano

Empreiteira erra e moradora paga água de três apartamentos

Encanamentos de três banheiros passam por um único hidrômetro

Wendy Tonhati Publicado em 09/08/2016, às 19h08

None
20160808_114211.jpg

Encanamentos de três banheiros passam por um único hidrômetro

Um erro no encanamento do residencial José de Alencar 2, no Jardim Monte Alegre, em Campo Grande fez com a professora Cíntia Elisabete Romeiro Rocha, de 30 anos, pagasse a água de três apartamentos sem saber. A dona de casa Graciela Cristina Anastácio, de 29 anos, percebeu o problema quando sua vizinha viajou, fechou o registro do apartamento onde mora e ficou sem água. 

A construtora responsável pelo condomínio, VBC Engenharia, foi notificada pela moradora e pelo síndico, mas enviou equipe para verificar o problema somente na manhã desta segunda-feira, 8. Segundo Graciela, os funcionários da VBC constataram que o encanamento do banheiro de dois apartamentos passam pelo hidrometro do imóvel de Cíntia. A professora está pagando água que não está consumindo. “Eu viajei, desliguei o registro e descobri que ela estava usando minha água.”

Algo semelhante aconteceu com a dona de casa Edivanda Ferreira da Silva, de 41 anos. O encanamento do banheiro do seu apartamento que fica no térreo, estava trocado com um que fica no terceiro andar e que isso já ocorreu com vários imóveis. Tais ocorrências deixam os moradores em dúvida quanto ao consumo da água. “Isso aconteceu e já arrumaram, mas minha conta continua vindo cara. Agora não sei se existe alguma infiltração”, explica Edivanda. 

Outro imbróglio do caso encontra-se nas contas de água das três vizinhas. “Minha vizinha fica fora de casa a maior parte do dia e tem família pequena, já eu tenho uma família grande, não é justo ela pagar R$ 280 e eu R$ 80”, reclama Graciela. 

As moradoras esperam que a construtora arque com as contas, já que elas não conseguem saber quanto cada apartamento consumiu. Os moradores nunca haviam percebido o problema até janeiro deste ano, pois a água vinha incluída na taxa de condomínio que custava R$ 60. 

A reportagem do Jornal Midiamax esteve no local enquanto a equipe da VBC Engenharia tentava corrigir o problema. A empreiteira, através da arquiteta Camila Peçanha, declarou à nossa reportagem que enviou a equipe em caráter emergencial ao local e que vai assegurar reparos em todos os problemas cobertos em contrato pela garantia dos imóveis.

A assessoria da empresa Águas Guariroba informou ao Jornal Midiamax que é responsável pela distribuição de água apenas até o cavalete e que o encanamento interno é de responsabilidade do usuário ou da construtora.

Residencial

Com investimento do Governo do Estado e da Prefeitura de Campo Grande, o residencial faz parte do Programa Minha Casa/Minha Vida e foram entreguem em Dezembro de 2014. A VBC Engenharia assumiu a construção do residencial após as obras terem sido abandonadas pela construtora mexicana Homex.

O Governo do Estado, através da Agehab, informou que a fiscalização das obras eram de responsabilidade da Caixa Econômica. Ao tomar ciência da situação dos moradores do codomínio através da reportagem do Jornal Midiamax, a assessoria da Agehab informou que vai solicitar uma fiscalização à Caixa Econômica para verificar os problemas de infraestrutura. A Prefeitura de Campo Grande não se manifestou.

Jornal Midiamax