Cotidiano

Em revista de rotina agentes apreendem 31 celulares e entorpecentes na Máxima

Materiais foram provavelmente arremessados

Tatiana Marin Publicado em 21/10/2016, às 17h36

None
presidio_maxima_0.jpg

Materiais foram provavelmente arremessados

Vistorias de rotinas realizadas nesta quinta-feira (20) por agentes penitenciários na Penitenciária de Segurança Máxima de Campo Grande, resultou na apreensão de 26 celulares. Na manhã desta sexta-feira (21), durante a ronda pelo entorno dos pavilhões, mais 5 aparelhos foram encontrados. A suspeita é de que os itens tenham sido arremessados por cima dos muros.

A revista realizada na quinta-feira, cobriu apenas o pavilhão 2. Além dos celulares, os agentes penitenciários apreenderam também 10 carregadores uma balança digital (do tamanho de um celular), além de uma serra e ferro de solda. Enquanto faziam a ronda na manhã desta sexta-feira, foram encontrados também quatro carregadores, quatro fones de ouvido e quatro porções de maconha.

O diretor da penitenciária, João Bosco Correia, acredita que os materiais apreendidos tenham sido jogados por cima da muralha. “Nossos agentes têm feito verificações constantes, já que o arremesso de ilícito pelo muro é uma técnica muito utilizada pelos criminosos para a entrada de materiais não permitidos no presídio”, explica.

De acordo com o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Ailton Stropa Garcia, a realização constante de revistas na unidade é essencial para a manutenção da disciplina. “Acreditamos que, com esses procedimentos rotineiros, o empenho da equipe e o trabalho de qualidade apresentado, conseguiremos o controle de materiais ilícitos”, destaca.

Jornal Midiamax