Cotidiano

Em meio a epidemia e após desabastecimento, governo recebe mais inseticida

Ao todo são 12 mil litros 

Clayton Neves Publicado em 17/03/2016, às 21h19

None
fumace.jpg

Ao todo são 12 mil litros 

O governo do estado deve receber na semana que vem, 12 mil litros de inseticida para auxílio no combate ao mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da dengue, chikungunya e zika. A disponibilização do veneno é uma promessa do governo federal.

De acordo com o secretário estadual de saúde, Nelson Tavares, o anúncio é animador, tendo em vista a dificuldade da União em adquirir o produto e as pequenas quantidades anteriormente recebidas.

“A quantidade é razoável, claro que não é suficiente para durar vários meses, mas por hora atende todos os municípios”, relata.

Tavares explica que agora, a recomendação é para que os municípios economizem. “Estamos trabalhando para que esse veneno seja usado somente em áreas de risco e onde existir confirmação de larvas”, finaliza.

Em Campo Grande a borrifação já não acontece há muito tempo. Os 14 veículos que fazem serviço de fumacê de combate ao mosquito Aedes aegypti estão parados desde o dia 17 de fevereiro por falta de inseticida.

No dia 26 do mesmo mês, a prefeitura recebeu mil litros vencidos do inseticida utilizado no combate do mosquito. Segundo o governo do Estado, mesmo com a data de validade expirada, análises do governo federal atestavam a eficácia do veneno. Mesmo assim, a administração municipal fez a devolução do material.

Tentamos falar com o secretário municipal de saúde, Ivandro Fonseca para repercutir o recebimento da nova remessa do veneno e saber quando o serviço de borrifação será retomado, porém, não conseguimos o contato.

Jornal Midiamax