Cotidiano

Em construção há 6 anos, obras atrasam e aulas do IFMS continuarão em prédio alugado

Obra do governo federal foi avaliada em R$ 17,6 milhões

Midiamax Publicado em 12/12/2016, às 16h16

None
ifms.jpg

Obra do governo federal foi avaliada em R$ 17,6 milhões

Obra do governo federal avaliada em R$ 17,6 milhões,  a construção da sede do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul em Campo Grande, no bairro Santo Antônio, se arrasta desde 2010, e não deve ficar pronta para o início das aulas em 2017. Atualmente, a instituição funciona provisoriamente na rua 13 de Maio, no colégio Latino Americano. O aluguel custa R$ 35 mil.  

De acordo com a última edição do Boletim de Obras, publicação feita pela Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional (Prodi), a obra está 90% concluída, e a previsão é de que chegue ao fim no primeiro semestre de 2017. Quando a licitação do empreendimento foi lançada, em 2009, a construção foi orçada em R$ 14,9 milhões, mas quase seis anos se passaram e o espaço nunca abrigou sequer um aluno.

No início de 2015, pelo descumprimento de obrigações contratuais e a não execução de etapas previstas no cronograma da obra, o IFMS não prorrogou o contrato com a empresa responsável pela construção dos blocos B e D. Em janeiro deste ano, foi assinado contrato no valor de R$ 2,4 milhões com a empresa Poligonal Engenharia e Construções para a retomada das obras e a conclusão da sede definitiva do Campus Campo Grande. A empreiteira ficou responsável por concluir os blocos B e D, além da área externa e rede elétrica.

Sede provisória – Desde 2011, o IFMS desenvolve atividades de ensino e
administrativas em sede provisória na Capital. A unidade funciona, atualmente, na Rua
Treze de Maio, no Centro. Mais de dois mil estudantes são atendidos com oferta de educação profissional gratuita. A unidade oferece cursos técnicos integrados ao nível médio (Eletrotécnica, Mecânica e Informática), cursos subsequentes (um presencial e sete a distância) voltados para a formação profissional de estudantes e trabalhadores que já possuem o ensino médio, um curso de graduação, uma especialização, além de cursos de qualificação profissional com duração média de quatro meses.

Ensino – Em Mato Grosso do Sul, o IFMS tem cerca de oito mil estudantes matriculados nos municípios de Aquidauana, Campo Grande, Corumbá, Coxim, Dourados, Jardim, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã e Três Lagoas. São oferecidos dez cursos técnicos integrados, seis cursos técnicos subsequentes
presenciais, nove cursos técnicos subsequentes a distância, nove cursos de graduação,
uma pós-graduação e 21 cursos de qualificação profissional.

Jornal Midiamax