Cotidiano

Direção do São Julião oferece leitos desocupados e propõe contrato com Estado

Administração diz que 40% das vagas não são ocupadas

Midiamax Publicado em 26/10/2016, às 14h58

None
Foto: Mariana Anjos/Midiamax

Administração diz que 40% das vagas não são ocupadas

O diretor do Hospital São Julião, Amilton Fernandes Alvarenga, propôs contrato por tempo indeterminado entre a unidade e o Governo do Estado. Segundo ele, o local conta com 112 leitos e ao menos 40% das macas estão desocupadas.

"Fazemos em torno de 70 cirurgias todos os meses e a nossa capacidade é de até 1.200. Temos 112 leitos e ficamos com 40% desocupados porque não temos pacientes. Se tivermos um contrato poderemos contribuir mais", observa.

A proposta foi feita na manhã desta quarta-feira (26), durante visita do governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB) que esteve no local para verificar as cirurgias de varizes, vesícula. Além desses procedimentos o governo do Estado assinou contrato, válido até novembro deste ano, para que o hospital dê continuidade aos procedimentos oftalmológicos agendados durante a Caravana da Saúde.

"Esse é o pós-caravana. Contratamos alguns hospitais para o procedimentos cirúrgicos. No São Julião temos contratado cerca de três mil cirurgias. Todo esse trabalho é importante para que a gente possa zerar a fila para essas pessoas que aguardam muitos anos. Isso ão é privatização da saúde. É fazer parceria para que possamos aumentar a capacidade de atendimento. É uma oportunidade de levar o atendimento necessário para as pessoas. Por cerca de 16 anos não fizeram isso", declara.Direção do São Julião oferece leitos desocupados e propõe contrato com Estado

Ao todo  foram investidos cerca de R$ 76 milhões na Caravana da Saúde. Atualmente o contrato entre o governo do Estado e do Hospital São Julião é de R$ 320 mil mensal para custeio e atendimentos. 

Jornal Midiamax