Cotidiano

Dia dos Pais: confira dicas para um bom churrasco e preços das carnes preferidas

Crise pode afetar até o almoço de Dia dos Pais

Wendy Tonhati Publicado em 12/08/2016, às 16h06

None
_mg_8665.jpg

Crise pode afetar até o almoço de Dia dos Pais

Para muitos pai e padrastos, o Dia dos Pais é sinônimo de churrasco com toda a família e filhos ao redor da mesa. Em algumas, os filhos bem que tentam deixar o pai longe da churrasqueira, mas nem sempre dá certo e os pais acabam tendo de de interferir e ajudar na 'Operação Churrasco'. Se o plano do próximo domingo for deixar o paizão descansando e botar a mão na massa, ou na carne, o Jornal Midiamax vai ajudar na missão com os preços em alguns açougues de Campo Grande e dicas de quem entende de fazer churrasco. 

Há 24 anos com uma casa de carne na Avenida Marechal Deodoro, Eusébio Marcolino, o Gaúcho diz que esse ano, por causa da crise, o movimento não deve ser o mesmo dos outros anos. Ele a mulher, Ilse Ferrari Marcolino, dizem que em anos anteriores, na véspera do dia dos pais, já havia encomendas para buscar na data, mas que até o momento, o movimento não tem sido o esperado. 

“Ligavam encomendando e diziam guarda uma picanha, guarda uma costela, mas até agora nada. Ainda não sabemos o quanto vamos colocar para vendar”, diz Ilse. “Os dias que mais vendem são o Dia das Mães, Natal e depois dias dos pais”, completa a empresária. 

Gaúcho diz que as carnes mais vendidas para o churrasco do Dia dos Pais, são a ponta de costela, a ponta de peito, fraldinha e a picanha. “Toda carne é boa para churrasco. Tem que saber assar. Não adianta comprar carne de primeira e não saber fazer. A dica para fazer o fogo é usar uma cera especial para acender o carvão. 

“Não pode colocar óleo ou gasolina, que dá gosto na carne. Churrasco mesmo, com carne vermelha como uma costela,  é só sal grosso. Outras carnes podem usar ervas, cerveja. Mas se colocar isso na carne, muda o gosto do churrasco. Também tem que acender o fogo só depois colocar a carne e manter a temperatura”, explica.

Na Casa de Carne do Gaúcho, os principais cortes estão com os seguintes preços: filé mignon (R$31), picanha (R$34,99), alcatra (R$ 22,89), contra file (R$22,89), ponta de costela (19,99), fraldinha (R$12,99) e ponta de peito (R$14,79).

Churrasqueiras também são presente de Dia dos Pais (Cleber Gellio)Multi Use Churrasqueiras, os proprietários Leoni Aparecida Huzek e Ilson José Huzek, dizem que a data é uma das melhores para as vendas junto com o fim de ano.

Segundo o casal, no Dia dos Pais, as churrasqueiras são vendidas para quem já quer fazer um almoço especial e também para quem pretende presentear o pai. As grelhas, facas especiais e as chapas para bifão são procuradas na data. 

“Esperamos o aumento tradicional da data, mas esse ano, por causa da crise, os itens mais baratos são os que mais estão saindo. A churrasqueira mais simples, para fazer espetinho, é o que mais tem vendido”, diz Ilson. Na loja, “tem churrasqueira para todo os bolsos”. O modelo que mais vendido, custa R$ 45. Outro, um pouco mais, custa R$ 60. Mas há opções para todos os pais e bolsos, com modelos que custam mais de R$ 1 mil. Entre as facas, que também são opções de presentes, o valor é em média R$ 45. 

Para quem vai comprar uma churrasqueia nova ou usar a que já tem em casa, Ilson dá algumas dicas. “Tem que usar um bom carvão e uma boa carne para garantir. Não pode comprar a carne em qualquer lugar”. Ele vende o carvão de eucalipto citriodora e garante que é o melhor, sendo que o valor é pouco maior do que o comum. “Eu vendo o de eucalipto  citriodora, que é de primeira, custa um pouco mais. Vale a pena investir, porque mas dura mais o fogo e o rendimento é o dobro. A lenha é mais usada por quem tem churrasqueira grande ou pré-moldada”, explica. 

O 'carvão de primeira' sai R$ 15 o pacote com 5 quilos e o comum, R$ 10, com o mesmo peso. Outra dica do churrasqueiro Ilson, é como acender o carvão. “Eu corto uma latinha, coloco farinha de mandioca e por cima, o álcool. Desse jeito, segura mais o fogo, até pegar no carvão todo”. 

Crise econômica deve impactar nas vendas até de redesNa rede Big Beef é esperado um aumento de 20% a 25% nos dias que antecedem o Dia dos Pais. Segundo o gerente Ailton Benardino, mesmo assim, a movimentação, por causa da crise, deve ser menor do que em anos anteriores.

"Deve ser menor do que no ano passado, mas o movimento é intenso mesmo, no sábado e domingo. Geralmente, os cortes que mais saem no Dia dos Pais são a costela bovina, fraldinha, maninha e a picanha. O pessoal quer impressionar os pais”, comenta. 

Na loja da Avenida das Bandeiras, os preços são: picanha (R$ 49,98), filé mignon (R$48,98), maminha (R$ 27,98), alcatra (R$ 26,48), contrafilé (R$25,98), ponta de costela (R$ 23,48), costela minga (R$ 12,48). 

No açougue O Ponto da Carne, na Avenida Mato Grosso, o gerente Flávio Bortoletto afirma que a crise ainda não chegou. Ele diz que o movimento do dia a dia tem sido o mesmo do ano passado e que as encomendas para o Dia dos Pais estão a todo vapor, “Estamos preparados para vender igual ou melhor do que no ano passado. Já começaram os pedidos para buscar no sábado e domingo”. Sobre os cortes que mais vendem na data, ele cita os tradicionais: picanha, maminha e ponta de costela, mas diz que os cortes especiais também tem sido muito procurados para o almoço do domingo. 

Cortes especiais também são procurados no Dia dos Pais“Temos o Rib Steak, o short Ribs, o T Bone que são cortes especiais muito procurados, que tem um preço razoável, não é tão diferente. Também os já  temperados que vão diretor para a churrasqueira e também para o forno”, explica. No açougue, ele afirma que não há preconceito com as carnes à vácuo, pois os produtos são embalados no local.

Picanha (R$ 43,50), filé mignon (R$43,50), maminha (R$ 31,49), alcatra (R$ 27,49), capa de contrafilé (R$19,40), ponta de costela (R$ 25,49).

Inflação

Em julho, a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande (IPC/CG) foi de 0,39%, segundo o o Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nepes) da Uniderp. Dos 15 cortes de carnes bovina pesquisados pelo Nepes da Uniderp, sete deles sofreram aumentos de preços. 

Dia dos Pais: confira dicas para um bom churrasco e preços das carnes preferidasFilé mignon (6,29%), alcatra (5,34%), acém (4,54%), paleta (4,08%), patinho (2,78%), costela (1,14%) e contrafilé (0,58%). O  músculo permaneceu com valor estável e as quedas ocorreram com: ponta de peito (-5,43%), cupim (-4,48%), vísceras de boi (-2,83%), picanha (-2,65%), lagarto (-2,11%), fígado (-1,17%) e coxão mole (-0,12%).

No quesito aves, o frango congelado teve alta de 4,33% e os miúdos de frango redução de -0,94%. Todos os cortes de carne suína tiveram aumentos de preços: bisteca com 8,63%; pernil com 5,11%; e costeleta suína com 4,67%. 

*Os preços foram levantados pelo Jornal Midiamax nesta sexta-feira (12) e podem sofrer alterações pelos estabelecimentos a qualquer momento. 

Jornal Midiamax