Cotidiano

Cacique ferido durante expulsão de famílias recebe alta

PF refuta que ele tenha sido atingido por balas, mas por 'estilhaços'

Guilherme Cavalcante Publicado em 14/03/2016, às 18h30

None
wmx-620x465x4-4dd2f14eabf9ae42ae355aaf830982a7d32f66949d235.jpg

PF refuta que ele tenha sido atingido por balas, mas por 'estilhaços'

O cacique indígena terena Izael Reginaldo, que foi ferido no último sábado (12) durante confronto com seguranças particulares da fazenda Cristal, já passa bem e está em casa. Ele passou por cirurgia no Hospital da Vida, em Dourados, após ter sido vítima de disparos de arma de fogo, segundo afirmaram lideranças indígenas.

A fazenda Cristal está localizada entre Dourados e Itaporã, às margens da MS-156, bem nas imediações da Reserva Indígena de Dourados, onde ficam as aldeias Bororó e Jaguapiru. O local está em processo de retomada pelos moradores da reserva desde o último sábado (12). Integrantes limpavam a sede da fazenda – segundo eles, desocupada há vários anos –  quando seguranças particulares teriam surgido em duas camionetes e expulsaram a tiros as cerca de 300 famílias que estavam na sede, sendo que um dos tiros teria atingido Izael no tórax.

Segundo lideranças locais, a (PF) Polícia Federal esteve na fazenda no sábado e no domingo, realizando busca pelos atiradores, mas, sem sucesso. Por telefone, a PF confirmou a informação, mas destacou que, a princípio, Izael não foi atingido por bala, mas por estilhaços de artefato explosivo não especificado, ainda em investigação pela equipe policial.

Os indígenas permanecem na propriedade e afirmam que resistirão. "Somos mais de 16 mil pessoas numa área de 3 mil hectares, estamos espremidos. Vamos resistir e reivindicar esta área, que é indígena", afirmou o terena Valdineis Ramirez.

Jornal Midiamax